Loja virtual sem estoque: saiba mais sobre essa tendência

Determinar com exatidão a quantidade de produtos necessários para atender as demandas dos clientes é um dos maiores desafios de um e-commerce. No meio de tantas dúvidas, alguns empreendedores chegam a acreditar que manter um estoque cheio, com ampla variedade de itens, é algo positivo.

Contudo, isso nem sempre significa que o empreendimento está alcançando bons resultados — pelo contrário, pode representar um desperdício. Sendo assim, uma loja virtual sem estoque é a melhor alternativa para quem deseja economizar ou, até mesmo, dar início a um novo negócio com baixo investimento.

Essa possibilidade parece interessante para você? Veja como funciona um e-commerce sem estoque, quais os benefícios desse modelo e como implementá-lo facilmente em seu negócio!

Como funciona uma loja virtual sem estoque?

Um e-commerce sem estoque funciona mediante uma metodologia de gestão denominada Just In Time (JIT), que prevê que nada deve ser comprado, produzido ou armazenado sem que seja realmente necessário.

Portanto, apenas quando efetuar uma venda é que a loja virtual deve acionar o fornecedor para adquirir e enviar o produto ao comprador, de modo que o item possa seguir o fluxo de pedidos sem ter de passar por um estoque. Há casos, ainda, em que o próprio parceiro do e-commerce é responsável por encaminhar os produtos aos clientes finais.

Quais os benefícios desse modelo?

Redução dos custos

Optar por um estoque zero em seu e-commerce é uma alternativa fantástica para reduzir custos e potencializar o seu planejamento — especialmente no começo do negócio ou na fase de inserção de novos produtos no catálogo. Isso é possível porque:

  • não ocorrem gastos com aluguel ou construção e manutenção de um armazém ou galpão para estoque;
  • há redução do quadro de funcionários, pois o fluxo logístico é simplificado e não há necessidade de estoquistas;
  • não é preciso adquirir vários itens de uma vez;
  • são eliminados os custos com avarias e perdas comuns em estoques.

Simplificação do processo logístico

A responsabilidade de produzir, embalar, despachar e garantir a entrega da mercadoria nesse modelo de negócio é tão somente do fornecedor, enquanto o e-commerce, nesse contexto, fica encarregado prioritariamente de vender, notificar o parceiro e monitorar o status dos envios — não precisando assumir todo o risco da entrega.

Mesmo que a loja virtual trabalhe isso internamente, recebendo os produtos e encaminhando para os consumidores, o fluxo logístico é aprimorado e, ainda, reduzido, tendo em vista que todas as atividades relativas a um estoque deixam de ser necessárias.

Eliminação de espaço para estoque

Outra vantagem dessa modalidade de gestão é justamente a eliminação de espaço para acondicionamento de produtos. Muitas lojas virtuais funcionam em ambientes minúsculos, divididos em escritório e armazém, porém, esse tipo de situação é facilmente superado por meio da redução ou eliminação do estoque.

Sendo assim, não é preciso alugar ou manter um armazém para estocar as mercadorias do seu e-commerce, tampouco apertar a equipe em um local de dimensões reduzidas para caber tudo e todos. Portanto, trabalhar com estoque zero é a melhor solução para o problema de espaço no escritório do seu empreendimento.

Maior mobilidade de capital

Como já mencionado, um armazém cheio nem sempre representa que a empresa está saudável. É preciso ter bastante cuidado com essa ilusão, pois um estoque cheio, em muitos casos, pode ser sinônimo de capital de giro imobilizado.

Esse dinheiro parado poderia ser empregado em investimentos para melhorias no negócio e em ações que pudessem oferecer retorno imediato. Ou seja, sem um estoque pesando no bolso, a loja virtual consegue usar os seus recursos financeiros de forma mais eficiente.

Como dar início a um e-commerce sem estocagem?

Escolha sabiamente um nicho de atuação

Para dar vida a uma loja virtual sem estoque é preciso, inicialmente, determinar um nicho de atuação. O ideal é preferir um de logística mais simples, com produtos de fácil disponibilidade — isto é, em que a fabricação e a reposição de produtos aconteçam de maneira mais ágil. Tal medida é necessária para evitar longos prazos de produção e entrega que prejudiquem a operação como um todo.

Selecione fornecedores confiáveis

Escolher os parceiros ideais pode não ser fácil, mas é extremamente necessário para o sucesso de um e-commerce sem estoque. Aliás, é importante ter em mente que o seu negócio dependerá muito dos fornecedores para que o processo de venda funcione bem — se eles errarem, você também errará.

Ou seja, é preciso ter certeza de que os fornecedores da sua loja virtual são realmente confiáveis. Portanto, não contrate a primeira empresa que aceitar esse modelo de negociação. Veja algumas dicas para não errar nesse momento tão delicado:

  • faça cotações com vários fabricantes ou distribuidores;
  • pesquise sobre o modelo de trabalho de cada fornecedor e veja se possui condições para atender o seu negócio satisfatoriamente;
  • visite as instalações do futuro parceiro e confira a qualidade dos produtos e do trabalho;
  • não tome decisões baseadas unicamente nos preços;
  • opte por empresas de fácil comunicação.

Terceirize o estoque

Dentro da lógica proposta pelo modelo de gestão Just In Time, a loja virtual passar a utilizar o estoque do seu fornecedor e comprar somente aquilo que for e quando for necessário — isto é, quando de fato ocorrer uma venda.

Negocie preços a prazos

Uma estratégia interessante para os lojistas virtuais que desejam trabalhar com um estoque reduzido, mas com algo em mãos para agilizar o processo de venda, é a negociação de preços a prazos.

Nessa modalidade, o e-commerce adquire determinada quantidade de produtos e só paga o parceiro de negócios depois de certo tempo — em 30 ou 40 dias, por exemplo. Dessa forma, trabalha-se com o dinheiro do fornecedor e ganha-se mais prazo para vender os itens e efetuar o pagamento.

Quais estratégias podem ser adotadas por uma loja virtual sem estoque?

Cross docking

Essa é a estratégia mais simples que um empreendimento virtual pode adotar para trabalhar sem itens armazenados. Nessa modalidade, o negócio aciona o fornecedor sempre que vender, para que ele envie o produto.

Uma vez recebida a mercadoria, o e-commerce se responsabiliza por conferi-la e embalá-la para depois encaminhá-la ao consumidor final. Contudo, para que o processo todo não seja comprometido — inclusive a fidelidade do cliente —, o ideal é trabalhar com fornecedores fisicamente próximos do seu negócio.

Dropshipping

O dropshipping, por sua vez, é a modalidade em que o fornecedor é encarregado de preparar e entregar o produto diretamente ao cliente final. Nessa estratégia, a loja virtual anuncia os itens do parceiro em seu site e o notifica sempre que acontece uma venda, fornecendo detalhes do pedido para a entrega ao destinatário.

Essa opção é ideal para o lojista que não quer se preocupar com a estocagem e nem com a logística de entrega do produto, pois há uma divisão de responsabilidades entre as partes — e-commerce e fornecedor.

Manter uma loja virtual sem estoque não é tão difícil quanto parece, mas é preciso cuidado especialmente para escolher bons fornecedores — essa parceira é muito importante para garantir o sucesso do empreendimento.

Quer aprender um pouco mais sobre o assunto? Então confira 6 boas práticas de logística para seu e-commerce!

O que pensam deste artigo...
  1. Daniel says:

    Que artigo interessante. Conteúdo de alto valor. Obrigado e-goi.

    • Hugo Pascoal says:

      Que bom que gostou Daniel. Continue nos acompanhando! Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.