Search
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

A E-goi preparou um Calendário de Marketing e Redes Sociais para 2022, com mais de 250 ideias para usar o ano todo.

Calendário de Marketing 2022

Todos os anos criamos uma nova versão do nosso tradicional calendário de marketing e redes sociais, para te ajudar a construir uma estratégia sólida e consistente!

Por que devo usar?

Porque é criativo, útil, se integra com o seu Calendário Google, Mac e Outlook e porque foi feito pelos maiores especialistas em automação de marketing deste planeta (e de todos os outros planetas onde possa existir vida)! São mais de 250 ideias para usar o ano todo, com sugestões para diferentes áreas de atuação.

Quanto custa este calendário?

Zero. Nadica de nada. É tão grátis como respirar.

E tem tudo o que preciso?

Tem tudo o que precisa e mais ainda! Até o Dia Sem Calças no Metrô nós incluímos aqui.

Já fiz download do calendário do ano passado. Preciso da versão 2022?

Quem vive de passado é museu. Portanto, sim! A versão 2022 traz as datas que marcaram o seu último ano, mas também traz muitas novidades, com sugestão de aulas, webinars e ideias práticas para implementar na estratégia de marketing do seu negócio.

Pronto! Eu quero! O que preciso fazer?!

Conheça os benefícios que o gerenciamento de redes sociais pode trazer à sua empresa e saiba como implementá-lo de forma prática e eficaz

Aprender técnicas de gerenciamento das redes sociais é cada vez mais importante diante do volume de público presentes nestes espaços. E ainda, considere que a cada 3 pessoas que decidem comprar on-line, duas afirmam ter experiências negativas, segundo pesquisas do CX Trends 2022

Isso sinaliza que muitas empresas presentes digitalmente, como nas redes sociais, deixam a desejar. Diante disso, é possível que os clientes priorizem negócios que oferecem um melhor gerenciamento das redes sociais. 

Diante disso, é importante entender principais erros, demandas mais comuns e ações que podem ser feitas no gerenciamento das redes sociais. Continue a leitura e fique por dentro!

Como funciona o gerenciamento de redes sociais?

O gerenciamento de redes sociais não se limita a criação de textos e artes, além da publicação regular nestes canais. Uma gestão eficiente precisa ir além, como ao preencher lacunas que muitas empresas não conseguem.

A sua empresa faz publicações baseadas em estratégias de marketing? Sabem diferenciar métricas de vaidade de métricas consistentes? Houve a definição da persona e linguagem utilizada? 

Se as respostas não forem positivas, o gerenciamento de redes sociais pode ser feito até pelo sobrinho adolescente de alguém. Já conhece essa brincadeira? Afinal, isso significa que as empresas não conseguem fazer o básico neste ambiente e ainda precisam evoluir muito. 

Porém, se as respostas forem positivas, parabéns! Este é um sinal de que a marca está no caminho certo. Entretanto, fazer apenas isso não é suficiente diante da alta concorrência das redes sociais. Isso porque elas provocam uma disputa de atenção constante. 

Isto é, para que uma empresa venda nas redes sociais é necessário chamar atenção. Assim, é como se ela indiretamente concorresse até com o perfil da Kim Kardashian, que distrai o público do seu negócio. Já parou para pensar? Contudo, não se desespere. É possível ter um bom desempenho, mesmo sem o dinheiro e a fama de personalidades com as Kardashians, por exemplo. 

Por que o gerenciamento de redes sociais é importante?

Após a leitura do tópico anterior, fica mais fácil compreender a relevância do gerenciamento de redes sociais. Isto é, existe uma intensa competição por atenção nestas mídias, tanto entre perfis profissionais quanto entre os pessoais. 

Então o adequado gerenciamento de rede sociais ajuda empresas a se destacarem. Isso é importante porque existem milhares de conteúdos produzidos em cada canal. Pode distrair os usuários, o que consequentemente, diminui o interesse deles por uma marca. 

Contudo, você já deve ter percebido que boa parte destes conteúdos não são exatamente de qualidade, certo? Isso ocorre em empresas quando elas negligenciam o gerenciamento de redes sociais. E ainda, quando os próprios profissionais da área se descuidam das suas funções.

Isto é, já reparou na quantidade de profissionais de marketing digital que surgiram nos últimos anos? 

É importante reconhecer que nem todos eles têm qualificação para fazer um trabalho de qualidade. Uma das explicações é que muitos entram neste universo por pensar que se trata da simples produção de texto, arte e publicação frequente.

De qualquer maneira, a boa notícia é que, em um mercado com muito despreparo, existem mais chances para quem quer se destacar. 

Como fazer o gerenciamento das redes sociais?

Você já entendeu como o gerenciamento das redes sociais é fundamental para que empresas e até profissionais se destaquem. Então, se continuou a leitura, é possível aprender mais sobre a gestão e se diferenciar de quem não tem a mesma visão. Logo, acompanhe algumas dicas a seguir que podem fazer úteis no gerenciamento das mídias!

Defina a persona 

Sem definir a persona, redatores, designers, atendimento e demais profissionais que gerenciam as redes não sabem com quem se comunicar. Isso significa que a comunicação aplicada tende a ficar apática ou até mesmo confusa. Seja como for, isso não contribui para o seu desempenho on-line. 

Contudo, inúmeras empresas, especialmente as médias e pequenas, não definem uma persona. Em outros momentos, o que muitos negócios fazem é definir apenas o público-alvo. Você sabe a diferença? 

O público-alvo consiste em um grupo de pessoas com dados comportamentais e psicográficos definidos. Por exemplo, ‘’mulher entre 30 e 45 anos, classe C e residente na periferia de São Paulo’’. Isso contribuiu para uma filtragem etária, de gênero, geográfica e de classe social. 

Todavia, ainda é possível ser mais específico com a definição da persona. Por exemplo, ‘’Ana Maria, 32 anos, mãe e a procura de renda extra ou autonomia financeira’’. Esta delimitação pode ser efetuada com base em pesquisas de mercado.

Além disso, existem outras informações valiosas que podem ser adicionadas para direcionar a comunicação. É o caso de família, histórico profissional, preferencias de consumo etc. Ao fazer isso, você tem embasamento para produzir conteúdo digital que atraia a persona.

Conteúdo alinhado com a persona

Por exemplo, imagine que você trabalha para uma empresa que oferece produtos para revenda. Para atrair a última persona descrita, existem algumas sugestões de títulos para publicações que podem ser adotadas, como:

  • saiba como escolher os melhores produtos para revenda;
  • descubra como lucrar mais com a revenda;
  • a melhor opção para empreendedores: veja porque a empresa X é confiável;
  • etc.

Buyer persona X brand persona

Você já percebeu a importância de definir uma persona. Mas qual é a melhor alternativa entre buyer persona e brand persona? A melhor estratégia é criar as duas. Isto é, a primeira se refere à definição do seu cliente ideal e a segunda a personificação da marca. 

Então, ao ter essas duas definições em mãos, o gerenciamento das redes sociais pode ser mais eficiente. Isso porque a equipe responsável pela gestão sabe exatamente o que combina com a marca e o cliente. Logo, a produção de conteúdo e o atendimento ficam mais alinhados com a demanda, o que elava as chances de sucesso. 

Estabeleça os objetivos

É natural que toda empresa ao investir no gerenciamento de redes sociais almeje o aumento da lucratividade. No entanto, é preciso ir além desse objetivo e estipular outros mais específicos para cada ação nas redes sociais. Caso contrário, a gestão destes ambientes se torna apenas o acréscimo de publicações aleatórias. 

Assim, fica difícil saber onde se quer chegar e mensurar se as estratégias adotadas se mostraram bem-sucedidas no percurso. Então, para ajudar a definir os objetivos empresariais nas redes sociais do seu negócio, conheça os mais comuns a seguir!

Atrair tráfego

Atrair tráfego para as redes sociais significa que existe mais público de olho nas publicações. Consequentemente, o volume de vendas também tende a ampliar. Assim, se o seu objetivo for esse, é importante que as estratégias desenvolvidas sejam pensadas para atrair o público. Isso pode envolver tanto o tráfego orgânico quanto o pago, conforme o orçamento da empresa.

No último caso, você paga para que publicações específicas apareçam para mais pessoas, como as que não seguem seu perfil. Então, se quem visualizar os posts for a sua persona, é possível que ela passe a visitar a sua página. Por isso, é fundamental saber segmentar o público que receberá os conteúdos no tráfego pago, responsabilidade de um gestor de tráfego. 

Contudo, tenha em mente que atrair visitantes é só o primeiro passo. Uma vez que você conseguiu chamar atenção, é preciso provar que o perfil é digno dela. Isso estimula as pessoas a permanecerem e a realizarem ações na página. Então, foque na contínua produção de conteúdo qualificado e alinhado com os interesses da persona.

Fortalecer a marca

Normalmente, marcas definem esse objetivo quando já conseguem atrair tráfego sem muita dificuldade. Logo, o foco passa a ser o fortalecimento da imagem corporativa. Assim, é possível evitar que ela se torne obsoleta gradativamente ou perca sua autoridade no mercado. 

Para entender, considere que 74% das pessoas recorrem às redes sociais antes de fazer uma compra, segundo a pesquisa Social Commerce. Isso sinaliza que, por mais conhecida que uma empresa seja, se ela negligenciar a presença nas redes, pode ser esquecida. 

E ainda, também leve em conta que não basta ser conhecida. É importante ser a marca de autoridade no mercado. Afinal, isso é considerado na hora dos consumidores optarem por uma empresa em vez da outra. Entretanto, com a concorrência, este objetivo pode se tornar mais difícil.

Então, ao ter o fortalecimento da marca como objetivo, o gerenciamento de redes sociais deve contornar os desafios. Por exemplo, você faz a gestão de um mercado que promove ações em datas comemorativas? Registre esses momentos e divulgue nas mídias. Essa é uma estratégia para trabalhar a imagem empresarial.

Fidelizar seguidores

Philip Kotler, o pai do marketing, afirmou que manter um cliente pode ser mais barato do que conquistar novos. Ou, se preferir uma expressão popular, ‘’mais vale um pássaro na mão do que dois voando’’. Isso deixa claro a importância de fidelizar seguidores, que pode ser outro objetivo no gerenciamento de redes sociais. 

Clientes fiéis precisam ser valorizados, já que toda fidelidade pode ser limitada, principalmente se não for feito por onde. Diante disso, as ações estratégicas construídas para este objetivo podem envolver a maior interação nos comentários e atendimento, por exemplo. 

E ainda, é possível pensar em descontos e promoções especiais para esse público, como um cartão fidelidade, que tal? Contudo, não deixe de reter novos clientes. Você pode priorizar os fiéis, mas é sempre importante pensar em métodos que ajudem e elevar o volume de público.

Aumento das vendas

É possível aumentar a lucratividade de um negócio ao ampliar as possibilidades de vendas diretamente das redes sociais. O Instagram, por exemplo, tem recursos como o Instagram Shopping, que expõe os produtos disponíveis e podem ser vendidos no próprio aplicativo. 

A lógica funciona de modo similar ao Marketplace do Facebook, que possibilita a negociação direta por essa rede social. Além disso, existem outros recursos disponíveis em que as mídias facilitam as vendas. É o caso do adesivo com links oferecidos pelo Instagram que pode encaminhar os usuários para landing pages, vendas no WhatsApp etc.

Gerar leads

Usar as redes sociais para manter os seus clientes ainda mais próximos pode ser outro objetivo do gerenciamento destes canais. Isso porque é possível ter uma comunicação facilitada, ao entender quais seguidores podem estar mais próximos da decisão de compra. 

Essa informação é valiosa para que as estratégias sejam corretamente direcionadas. Logo, suas chances de venda, fidelização e fortalecimento da marca devem ser potencializadas. 

Assim, saiba que algumas formas de gerar leads com o gerenciamento das redes sociais é ao produzir conteúdos, como e-book. O passo seguinte é estimular o público a baixá-lo em troca de dados básicos, como o endereço de e-mail. 

Educar o mercado

Estimular a educação de mercado é uma prática muitas vezes negligenciada por pequenas e médias empresas nas redes sociais. Todavia, fazer isso é um erro que pode atrapalhar os demais objetivos citados. Afinal, para que as pessoas se atraiam, comprem e se fidelizem a uma marca, elas devem entender as vantagens disto. 

Alguns negócios são mais difíceis de passarem essa mensagem do que outros. Por exemplo, você como profissional de marketing provavelmente já teve dificuldades de explicar o que faz e a importância do seu trabalho. 

Algumas pessoas consideram ser chato ter que responder constantemente perguntas do tipo. Porém, se o público não entender o que, como e por qual motivo o seu trabalho existe, como vai contratá-lo? A mesma lógica é aplicada na compra e venda de qualquer outro produto ou serviço.

Diante disso, as estratégias de gerenciamento das redes sociais podem desenvolver conteúdos que eduquem o mercado. Logo, quanto maior o nível de nutrição de conteúdo sobre um assunto, maiores as chances de alguém ser convertido em cliente.

Acompanhe as métricas

Após compreender mais sobre a definição dos objetivos no gerenciamento de redes sociais, é hora do passo seguinte. Ele consiste no acompanhamento das métricas de desempenho. Lembra quando falamos sobre elas no início do artigo? 

Apesar da sua importância, muitas empresas, com destaque para as PMEs, ignoram ou não sabem como analisar os dados corretamente. Porém, não acompanhar as métricas é como dirigir por um local desconhecido sem mapa ou GPS. Os resultados dessa trajetória podem até serem bons.

Mas no mundo dos negócios e com o dinamismo das redes sociais não é recomendado contar com a sorte. E ainda, se basear em dados errados, como métricas de vaidade, por exemplo, também traz prejuízos. Então, saiba como fugir de problemas como esses!

Defina indicadores-chave

Os indicadores-chave são métricas de marketing digital que contribuem para análise do desempenho das estratégias definidas nas redes sociais. Assim, as escolhas das mais adequadas depende dos objetivos previamente escolhidos.

Por exemplo, a métrica de engajamento é uma das opções para analisar o fortalecimento da marca e a atração de tráfego. Contudo, o mesmo não pode ser dito se o objetivo da gestão de redes sociais for gerar lead. De todo modo, é indispensável não considerar uma métrica isolada. A análise deve cruzar diferentes dados para um maior aprofundamento. 

Afinal, engajamento, como curtidas nas publicações, pode ser insuficiente para mostrar o fortalecimento da marca se não houver também outras interações. E ainda, é preciso realizar pesquisas qualitativas para conhecer o sentimento do público. Isso porque as pessoas podem realizar muitas interações em um perfil, mas a direção delas é positiva ou negativa?

Separe as métricas de vaidade

As métricas de vaidade são interações que elevam o ego, mas não tem necessariamente um valor positivo. É o caso da quantidade de comentários, likes, alcance de publicação, cliques em um link, compartilhamento, links salvos etc. 

Isto é, números altos destas métricas sinalizam popularidade. Mas um negócio pode ser popular por uma polêmica gerada, por receber muitas críticas ou ser ridicularizado, não necessariamente por agradar. Basta pensar na quantidade de marcas que você conheceu apenas depois que experiências negativas dos clientes viralizaram. 

Então, ter isso em mente também é útil ao procurar parcerias com influenciadores digitais para a sua empresa. Assim, não considere apenas número de seguidores e demais métricas já citadas. Para o marketing de influência, priorize análise da média de visualização por post e índice de qualidade do público-alvo. 

Inclua métricas relevantes no planejamento

Você já definiu as métricas mais relevantes para o seu objetivo e fez uma análise cautelosa quanto ao desempenho empresarial. Agora, é o momento de incluir esses resultados junto ao planejamento. 

Afinal, texto, imagem, método de atendimento e demais ações nas redes sociais não podem ser definidas aleatoriamente. 

Muitas vezes, pode ser necessário implementar testes A/B para entender qual abordagem tem melhor desempenho. Para uma maior compreensão dos resultados, estabeleça metas de desempenho, conforme a realidade da sua empresa. 

Defina os canais

Existem diversas redes sociais, cada uma com interesses, linguagem e públicos diferentes. Será que a sua persona marca presença em todas elas? Encontrar essa resposta é um dos critérios para definir os canais de uso. Além disso, considere qual é o objetivo proposto no gerenciamento. Seja como for, é possível entender mais sobre a definição dos canais ao conhecer as peculiaridades de cada um:

  • Facebook – trata-se da rede social mais usada no mundo e pode elevar o alcance das publicações à medida que mais interações ocorrem;
  • Instagram – é uma das redes sociais mais queridas pelo público, graças às suas inúmeras funcionalidades e aos conteúdos visuais;
  • Twitter – é caracterizada pela circulação de informações rápidas e objetivas, devido principalmente à limitação de caracteres;
  • LinkedIn – é destinada a profissionais e negócios que queiram expandir suas relações profissionais, como anunciar e procurar vagas de trabalho;
  • Google My Business – é uma ferramenta Google que permite criar e gerir um perfil com as principais informações sobre o seu negócio, como localização, contatos, horário de funcionamento, website, etc;
  • TikTok –  se tornou popular durante a pandemia da covid-19 e é uma das que mais possibilitam engajamento dos perfis, mesmo os com menos seguidores;
  • Pinterest – não costuma ser considerado entre os canais de uso das empresas, mas pode ser muito útil para influenciar na decisão de compras dos consumidores.

Monte um calendário editorial

O calendário editorial é um documento que guia o gerenciamento das redes sociais. Isso porque ele inclui tipos de publicações a serem realizadas, data, horário e outras informações relevantes. Logo, é possível ter mais organização na gestão. Contudo, tenha flexibilidade e saiba quando é melhor adaptar as demandas do momento.

Faça o gerenciamento de crise nas redes sociais

Esporadicamente, a sua empresa pode lidar com crises de imagens nas redes sociais, como quando um cliente tem experiências negativas. Assim, ele pode compartilhar por comentários ou publicações, o que coloca o seu negócio em uma situação conflitante. 

Diante disso, muitos optam por ignorar a situação ou até mesmo bloquear o perfil, ou apagar comentários. No entanto, esse é um grave erro que piora ainda mais a crise da sua marca. Afinal, os responsáveis devem perceber e podem ter prints para comprovar o seu comportamento. 

Então, se calar em situações como essa fortalece a crítica e demonstra que você não se importa com o feedback do consumidor. Por isso, tente responder o máximo de interações possíveis, sejam elas negativas ou positivas. Se necessário, também é válido emitir uma nota em resposta ao ocorrido. 

Gerenciador de redes sociais

Existem diversas ferramentas que facilitam o gerenciamento das redes sociais. É possível realizar todas as operações citadas com mais rapidez e praticidade. Lembre-se que os consumidores atuais e a dinâmica das redes exigem senso de urgência. 

Assim, os gerenciadores podem agendar programação, facilitar o acompanhamento de métricas, análise das interações e muito mais. Algumas plataformas até possibilitam a conexão com todos os canais, o que facilita a gestão e o aumento da base de dados.

Como visto, contar com ferramentas no gerenciamento de redes sociais pode facilitar este processo. Junto com isso, é fundamental definir persona, objetivos, canais de uso, acompanhar métricas, montar calendário editorial e gerenciar crises. Essas e demais informações sobre o assunto foram apresentadas ao longo do texto para potencializar os resultados do seu negócio.

Na plataforma E-goi, é possível realizar o gerenciamento das redes sociais Facebook, Instagram, Linkedin, Twitter e Google My Business de forma gratuita. A funcionalidade auxilia na criação e agendamento de campanhas com rapidez, simplicidade e em múltiplos canais. Pode ainda ser integrada a outras estratégias de marketing digital dentro da mesma plataforma. Confira agora mesmo!

Crie uma conta grátis »

Neste post vamos falar sobre estratégias de relacionamento para que seus clientes sejam mais do que meros usuários do produto ou serviço, tornando-se verdadeiros admiradores e seguidores da marca. Venha conosco!

A preocupação sobre como fidelizar clientes está presente em todos os lugares do mercado. Não importa qual é o seu ramo de atuação ou objetivo de carreira. Se você tem uma multinacional, precisa cuidar da sua clientela para se manter no topo. Se é dono de uma pequena empresa, deve encantar os consumidores para mantê-los sempre em contato com o negócio e aumentar as vendas. Se é um youtuber, precisa manter sua audiência interessada para obter visualizações e cliques: não tem como fugir disso!

Por esse motivo, você precisa se antenar sobre estratégias de relacionamento para que seus clientes sejam mais do que meros usuários do produto ou serviço, tornando-se verdadeiros admiradores e seguidores da marca. É sobre isso que vamos falar neste post. Venha conosco, entenda a importância desse assunto e descubra sete formas de fidelizar os seus clientes!

O que é retenção e fidelização de clientes?

A ideia de reter um cliente gira em torno de garantir que ele continue consumindo as soluções oferecidas pela sua empresa. Sabe quando recebemos uma visita e oferecemos um café para ela ficar mais um pouco? Pense no freguês dessa forma: ele procura o seu serviço ou produto e você deve alimentá-lo para que ele permaneça um pouco mais, sem hora para acabar.

Quando seu empreendimento consegue reter um cliente, ele sempre busca a sua marca, pois quer mais da experiência proporcionada por ela. Daí vem a ideia de fidelidade: ela é consequência de um bom relacionamento. Se a pessoa for totalmente atendida e suas expectativas forem superadas, ela sempre vai voltar.

Quais são os principais benefícios dessas práticas?

Além de garantir que os consumidores voltem a fazer negócio com a sua empresa, estratégias de fidelização também têm como finalidade que os clientes recomendem o produto ou serviço para outras pessoas. O marketing boca a boca é muito forte, pois existe o fator confiança.

Em geral, tendemos a acreditar sem duvidar daquilo que é indicado por pessoas nas quais confiamos. A consequência é ter mais gente trabalhando como promotor da marca, logo, as vendas aumentam, você se posiciona melhor no mercado e o faturamento sobe.

Como fidelizar clientes?

Quer saber como alcançar esses resultados? Veja a seguir sete ações essenciais!

1. Humanize o atendimento

A humanização no atendimento é uma tendência e não é à toa. As pessoas querem ser atendidas em todos os níveis. Isso inclui compreensão, empatia e simpatia. A dinâmica é simples: apenas pessoas podem criar esse tipo de relacionamento com outras pessoas.

Por isso, é muito importante trazer essa proximidade mesmo que você automatize processos e comunicação por meio da tecnologia. O cliente que está sendo atendido precisa saber que, por trás daquela interface, máquina ou produto, existem pessoas pensando no melhor para aquela interação e prontas para ajudá-lo.

2. Personalize a experiência

Uma das formas mais concretas de tornar o atendimento humanizado é personalizar a experiência do cliente. Mas não estamos falando do “OLÁ, NOME COMPLETO EM CAPSLOCK” que aparece em certos serviços.

Além de contar com apps e programas que deem a opção de tornar a comunicação o mais orgânica possível, evitando a sensação de máquina falando com humano, é importante saber administrar as informações sobre os clientes.

Se no atendimento você teve acesso a alguma preferência ou situação específica, use isso nas próximas conversas. Os detalhes fazem toda a diferença para surpreender, agradar e encantar os clientes, aproximando-os da sua empresa.

3. Forneça serviços adicionais

Ainda seguindo o raciocínio da dica anterior, imagine: você ficou duas vezes em um hotel e, em ambas, comprou determinada bebida — a sua preferida, digamos — quando se hospedou lá.

Na terceira reserva, você chega, abre a porta e se surpreende: há uma garrafa daquela bebida em cima da mesa e um bilhete desejando que aproveite a estadia. Diferente, não é?

Em geral, esses “serviços adicionais”, bem como todo tipo de gentileza, cortesia, descontos e mimos melhoram, e muito, o relacionamento com o cliente. Ele vai ficar mais do que satisfeito: encantado. O resultado é retenção e fidelização.

4. Crie um programa de fidelidade

Com esse atendimento top de linha, nem é preciso pontuar que o cliente nunca vai esperar menos que uma experiência excelente. Desse modo, você também pode incentivar a fidelidade dele demonstrando que, além de fornecer serviços e produtos impecáveis, valoriza a preferência dele de outras formas.

Você não precisa ser dono de uma multinacional para oferecer milhas aéreas, pontos no cartão de crédito ou coisas do tipo. Pequenas ações também têm peso e a tecnologia pode ajudar nisso. O importante é criar uma meta de consumo e deixar o cliente perceber que só tem a ganhar sendo fiel à sua marca.

5. Fique de olho nos indicadores

Outro ponto importante é ter foco total no planejamento. Você precisa fazer uma boa análise sobre os custos e a sua capacidade de carga para não “se afundar” querendo dar um passo maior do que o pé. Como dissemos no tópico anterior, use a sua criatividade e faça o que está de acordo com as suas condições.

Dessa maneira, é primordial acompanhar as métricas, ou seja, ficar de olhos nos indicadores para saber quais ações pontuais estão trazendo mais resultados. Isso vale para qualquer esfera: desde a estratégia até o operacional. Cada segmento tem seus medidores de desempenho mais expressivos, então, fique ciente deles.

6. Envie e-mail marketing

É impossível ter uma boa relação com alguém com quem você não conversa ou mantém contato, certo? A premissa do relacionamento com o cliente é a mesma. Não deixe o contato dele abandonado, nutra essa relação.

Sabemos que essa pode ser uma tarefa complexa quando se conta com uma grande clientela. Por isso, é fundamental utilizar o e-mail marketing, uma vez que ele automatiza a comunicação mantendo o contato e proporcionando a personalização.

O e-mail marketing traz bons resultados sem deixar de lado o aspecto da humanização do atendimento. Você pode gerenciar os contatos com clientes levando em consideração as suas particularidades e perfis de consumo por meio da segmentação.

7. Use plataformas especializadas

Óbvio que, conforme o tempo for passando, as informações vão se acumular e você não poderá gerenciar manualmente todas as preferências. Diante disso, o ideal é pesquisar sobre programas e escolher um que conte com uma equipe especializada e tenha cases de sucesso conhecidos.

Ao pensar sobre como fidelizar clientes, tenha um objetivo: o apoio de uma plataforma multicanal que ajude em todo o processo de comunicação e retenção além de oferecer a possibilidade de acompanhar as métricas e mensurar resultados. Não se apegue apenas a uma ferramenta de e-mail marketing se você pode ter todo o auxílio para crescer.

Para descomplicar o seu negócio, agilizar os seus processos e fornecer um diferencial competitivo, nós temos uma solução: conheça a plataforma de fidelização QERO!

Software promove a integração das informações, evita erros de agendamento e melhora todo o processo de comunicação interna

Melhorar a integração da equipe, otimizar a gestão do tempo, reduzir custos, aumentar a produtividade… Motivos não faltam para que as empresas adotem o uso de uma agenda online compartilhada, como forma de aperfeiçoar seus processos e a comunicação interna.

O recurso é uma importante ferramenta para que os líderes possam conduzir com mais assertividade a gestão de tarefas dos colaboradores.

Ao organizar a agenda online da equipe, os gestores conseguem visualizar em um grande “mapa” as diversas atividades programadas para o período, podendo mesclar a apresentação em sua tela sob a forma de um calendário coletivo e também de agendas individuais.

Mas o que é, quais são os benefícios e como organizar a agenda online compartilhada da empresa, de maneira que ela traga todos os benefícios esperados? É isso o que a gente vai conferir neste conteúdo!

Vem com a gente!

O que é uma agenda online compartilhada?

Trata-se de uma ferramenta digital capaz de integrar os colaboradores de uma equipe – e até mesmo times de diferentes setores. É uma das formas mais eficientes e produtivas de compartilhar informações, evitando que as tarefas não venham a se sobrepor umas às outras.

Um software de agenda online compartilhada é ideal para ser utilizado por times de Vendas e de Marketing, profissionais de Finanças, equipes de Recursos Humanos e de Tecnologia da Informação, além de prestadores de serviços em geral, como clínicas médicas, odontológicas, de psicologia e de fisioterapia, escritórios de advocacia e de arquitetura, salões de beleza, barbearias, estúdios de pilates e yoga etc.

A ferramenta permite que cada usuário faça o agendamento de suas atividades, que podem incluir participação em reuniões, atendimento a clientes ou fornecedores nas dependências da empresa, visitas externas, entre outras.

Assim, os diferentes compromissos são visualizados de maneira online pelos demais integrantes da equipe, o que impede que novas tarefas conjuntas sejam agendadas para horários em que os colegas já tenham outras atividades marcadas.

Por essa razão, organizar a agenda online revela-se fundamental para aqueles que necessitam saber a disponibilidade de outros funcionários ao marcar uma determinada atividade em grupo.

O software promove a integração das informações, evita erros de agendamento e melhora todo o processo de comunicação interna das equipes. Tudo o que é impossível de ser feito com uma agenda de papel ou mesmo usando apenas o e-mail!

Como organizar a agenda online compartilhada de sua empresa?

Cabe ao gestor da equipe a tarefa de manter o controle da agenda online compartilhada, a fim de garantir que todos os colaboradores aprendam todos os recursos do software e, assim, assegurar os benefícios que a ferramenta tem a oferecer quando utilizada corretamente.  

Para que isso aconteça, é importante seguir algumas dicas:

1. Escolha da agenda online compartilhada

Esse é o primeiro passo rumo à maior produtividade da sua equipe.

É preciso escolher um software que possua as funcionalidades que trarão benefícios para a empresa e que irão, efetivamente, promover uma maior integração entre os colaboradores de sua equipe.

Além disso, o uso da ferramenta deve ser intuitivo e descomplicado, com uma interface amigável.

Também é necessário estar atento à garantia que o software oferece em relação à segurança das informações, de preferência optando por aqueles que oferecem armazenamento em nuvem.

2. Organização e planejamento diário

Os colaboradores devem ser orientados a começar o dia (ou a semana) elencando as atividades que irão desempenhar ao longo daquele período.

Na sequência, alimentam a agenda online compartilhada com as diferentes tarefas, para que todos os compromissos estejam visíveis aos demais colegas.

Uma das funcionalidades do software é poder identificar e reunir as atividades por cores, facilitando a visualização por parte do grupo e o controle por parte do gestor.

Assim, eventos como reuniões, atendimentos e visitas ganham uma cor diferente (e padronizada) na agenda e se destacam visualmente junto aos colegas.

3. Atualização constante das informações

É importante que os usuários registrem na ferramenta todas as mudanças que ocorrerem em seus compromissos, a fim de que os colegas sejam informados automaticamente.

É o caso, por exemplo, de um cancelamento, antecipação ou adiamento de horários, remarcação de datas etc.

Dessa forma, não só as novas informações sobre a tarefa estarão disponíveis no sistema, mas também os horários que se tornaram vagos surgirão na tela do dispositivo, indicando que um eventual novo compromisso pode ser agendado para aquele período.

4. Gerenciamento dos horários para eventos em comum

Ao organizar a agenda online compartilhada da equipe, o gestor tem em mãos um calendário completo com todos os horários de eventos que cada funcionário programou para si para a realização de suas atividades profissionais.

No entanto, muitas vezes é necessário encontrar espaço na agenda coletiva para que um determinado evento reunindo vários integrantes do time (ou a sua totalidade) estejam presentes.

O software de agendamento permite que o gestor se comunique com os colaboradores expondo a situação e, em conjunto com a equipe, promova as adequações necessárias de horários para que seja possível contar com todos naquela determinada atividade, sem causar prejuízo às demais tarefas.

5. Maior produtividade das equipes

Organizar a agenda online compartilhada de maneira a garantir que se tenha todas as funcionalidades utilizadas plenamente pode ser muito útil para o aumento da produtividade de diferentes equipes, especialmente quando integrado a outros sistemas.

Um exemplo bastante claro acontece em relação à integração com uma ferramenta de Automação de Marketing.

Tanto a equipe de Marketing quanto a de Vendas, que têm atividades complementares e que necessitam estar em contato permanente entre si, experimentam inúmeros benefícios ao compartilharem a agenda de atividades de seus respectivos colaboradores.

Ao acompanharem de perto o andamento do trabalho do outro time, recebem insights relativos ao timing das próprias tarefas que precisam desenvolver, acompanhando a evolução dos leads no funil de vendas e avaliando constantemente o desempenho de suas estratégias.

Isso permite uma maior integração entre os times e, consequentemente, o crescimento da produtividade de ambas as equipes.

*Conteúdo em parceria com Simples Agenda

Ensinamos o passo a passo para encontrar o game dentro da plataforma. Captar contatos nunca foi tão fácil!

Foi uma decisão difícil de tomar, mas não havia escolha. A partir de hoje, a E-goi se transforma numa software house de jogos, abandonando o marketing e se dedicando ao gaming

“Há muito tempo que surgia esta tendência de mercado e achamos que era o momento certo para arriscar”, explica Marcelo Caruana, Head of Marketing da E-goi. “Já tínhamos uma equipe dedicada ao desenvolvimento de narrativas e de desenvolvimento técnico. Criamos propostas para novos jogos, alguns adaptados para Realidade Virtual, por isso estávamos ansiosos para colocar o resultado final no mercado”.

O nosso primeiro jogo já está disponível dentro da própria plataforma (escondido para Beta Testers) e queremos saber a sua opinião. Vamos lá?

Como jogar

O primeiro passo é fazer o login na plataforma E-goi. Se ainda não tiver uma conta, crie já gratuitamente!

Criar conta »

A seguir, na página inicial da sua conta, crie um novo dashboard, como mostramos abaixo:

A seguir, crie qualquer widget no dashboard com o nome “leadHunter”.

Depois de salvar, recarregue a página ou então aperte F5.

Assim que a página recarregar, começa o jogo!

Conta aqui nos comentários quantos contatos você conseguiu captar, e bom jogo 😄

O Planner é a nova funcionalidade da E-goi, para te ajudar a organizar uma campanha de marketing e medir os resultados

Ao desenvolvermos uma campanha de marketing, pensamos em datas estratégicas ao longo do ano. Criamos ações especiais para esses dias, que possam trazer resultados positivos para o negócio. Contudo, essa é a teoria. Agora vamos para a prática, que pode ser um verdadeiro desespero na vida do empreendedor e do profissional de marketing. 🤯

Feche os olhos e imagine o seguinte cenário: fim de ano chegando e junto com ele as campanhas de Black Friday, Cyber Monday e Natal. São posts nas redes sociais, landing pages, campanhas de e-mail e SMS, fluxos de automação da comunicação e muitas outras ações acontecendo simultaneamente. Como organizar a campanha de marketing e ainda assim conseguir medir os resultados?

Confira o artigo completo sobre o Planner 🗓️ e saiba como ele pode ser seu melhor amigo no planejamento e execução dos objetivos.

Campaign Planner

O Planner é uma nova funcionalidade, que permite selecionar e agrupar as ações de marketing e comunicação dentro da plataforma E-goi. Sendo assim, consegue acompanhar o resultado atingido pelo conjunto de ações em um só lugar.

Acima de tudo, em termos de praticidade, em vez de precisar acompanhar a performance de cada e-mail enviado, cada post publicado e tentar perceber o impacto dessas ações no objetivo da sua campanha, você tem uma visão global da eficiência, o que te ajuda a poupar tempo e medir os resultados para as próximas campanhas.

Como funciona

Em primeiro lugar, o planner pede para identificar a data de início e de encerramento da campanha de marketing. Na próxima etapa, é preciso definir os objetivos da campanha que será acompanhada. Você pode escolher métricas, como aberturas, alcance, cliques, comentários, impressões, inscrições, visitas e outras metas. E em seguida, determina qual será o número que a sua campanha deve atingir.

Por último, adicione os elementos da campanha, ou seja, os e-mails, páginas e formulários, SMS, posts e outras ações realizadas. Assim consegue ter uma visão mais global do seu negócio.

Depois que o Planner for corretamente programado, é só acompanhar a perfomance em tempo real. Poderá ver o quanto você já evoluiu e o quanto ainda falta para alcançar o objetivo final.

Clique aqui para saber o passo a passo de como usar!

Conclusão

A nova funcionalidade já está disponível na plataforma E-goi. Com ela, as suas ações de marketing não são mais atividades isoladas, e se tornam parte de uma campanha completa. Em conclusão, é possível acompanhar todos os canais e comunicações em um só lugar e as respectivas performances. Fique sempre a par dos resultados e consiga definir novas ações para atingir o resultado almejado.

Quer testar o Campaign Planner na sua próxima campanha? Nós te ajudamos!

Quero Testar »

Conheça as principais dicas para desenvolver uma estratégia de marketing digital eficaz e saiba como encontrar especialistas para ajudá-lo

Uma das etapas mais importantes para o sucesso de um negócio é definir uma estratégia de marketing. Afinal, de nada adianta criar um produto inovador, abrir uma loja ou oferecer um serviço de qualidade se você não souber como posicioná-lo no mercado. No cenário atual, com a diversidade de canais disponíveis, criar uma estratégia de marketing digital é essencial. Assim, conversa com o público seja onde ele estiver.

Planejar, executar e mensurar. Essas três palavras devem ser um lembrete diário para não investir recursos em uma ação que não vai trazer resultados. É importante inovar e arriscar, mas sempre baseado em uma análise prévia do mercado. E após a execução, medir os resultados é a regra de ouro. Te ajudará a entender quais ações foram assertivas e devem ser repetidas, enquanto outras devem ser deixadas para trás.

Como criar uma estratégia de marketing digital

De modo geral, há alguns passos essenciais ao iniciar a criação da estratégia de marketing digital. Por exemplo:

Definir personas

As buyer personas são personagens fictícias que representam seus clientes ideais. Em média, as empresas costumam ter de 3 a 5 personas para começar. Cada persona deve retratar um grupo de clientes, que tenham características e comportamentos em comum, com base em dados reais e pesquisas de mercado. Além disso, devem conter informações como idade, formação profissional, renda, hábitos, problemas e objetivos de vida, por exemplo.

Captar contatos

Após definir as personas do seu negócio, está na hora de captar contatos. Se já tiver uma base, pode pular para o próximo tópico!

Se ainda não tiver contatos, comece a investir em landing pages e outros formulários que seus atuais e potenciais clientes possam preencher. Ter essas informações vai te ajudar a enviar comunicações muito mais direcionadas, principalmente para acompanhar a jornada de compra, desde a captação até a conversão. Não esqueça de ficar atento à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Gerenciar a base de dados

Contatos captados? Boa! A orientação é que você nunca deixe de movimentar a sua base, com novos contatos e com mais informações sobre os antigos. A questão é que quanto mais dados você tiver, mais desafiador será para gerenciá-los de forma manual. Criar segmentos, tags e fluxos de automação, por exemplo, pode facilitar esse processo. Com poucos cliques, a sua comunicação acontecerá de forma automatizada, sem tomar tempo do seu dia.

Escolher os canais de comunicação

Já sabe com quem você quer comunicar. Agora é a hora de escolher qual será o canal, ou os canais, para que essa mensagem seja passada com sucesso. No ambiente digital, opções não faltam: e-mail, SMS, web push, mobile push, redes sociais e muitos mais.

Ao diversificar os canais, deve encontrar o maestro que há dentro de você, para comandar a orquestra. Escolher o melhor de cada canal e ativá-los no momento mais oportuno. Deve tomar sempre o cuidado para não comunicar em excesso, a ponto do seu contato pedir para ser removido da base, ou então não comunicar e correr o risco de ser esquecido por um atual ou potencial cliente.

Definir KPI

Você só saberá se a sua estratégia está dando certo se definir KPIs, isto é, Indicadores-chave de Performance. É uma forma de medir as ações estão efetivamente atendendo aos seus objetivos. Assim é mais fácil analisar se o seu marketing está caminhando pelo caminho certo ou se será preciso ajustar a rota.

Esses são os passos mais básicos para iniciar a construção de uma estratégia, mas ainda há muito mais pela frente! Uma alternativa mais prática é contar com a ajuda de um especialista. Ele irá guiar seus próximos passos no vasto mundo do marketing digital.

Acompanhamento estratégico personalizado

Na E-goi, todos os clientes do Plano Pro, na primeira adesão, têm direito ao Acompanhamento Estratégico Personalizado (AEP). Nossos especialistas em marketing digital te acompanham no desenho e implementação da sua estratégia, para que os resultados apareçam desde o primeiro dia. O acompanhamento é feito sob medida, para pessoas que já possuem uma base de conhecimentos sobre marketing digital, e também para quem está começando do zero.

O AEP é composto por quatro etapas:

  • Os especialistas buscam conhecer mais sobre a estratégia da empresa, para diagnosticar os desafios, as oportunidades e os objetivos que serão trabalhados. Além disso, é feita a configuração inicial da plataforma de automação de marketing multicanal.
  • Em seguida, são definidas as soluções mais assertivas para atingir os objetivos definidos na primeira etapa.
  • Na terceira parte do AEP, os especialistas te ajudam a implementar a estratégia enquanto medem e analisam os primeiros resultados. É feita uma breve avaliação do trabalho realizado e é traçado um plano para os próximos passos.
  • Nesta etapa são feitos ajustes dos últimos detalhes, para que você domine a sua estratégia de marketing digital e tenha total autonomia para utilizar a plataforma.

Quer saber como funciona o AEP? Clique aqui!

Conclusão

Criar uma estratégia de marketing digital pode parecer desafiador. É importante ter claro quais são os objetivos mais importantes para o seu negócio e manter sempre uma relação com o seu cliente. Consegue fazer isto de forma autônoma, ou então com a ajuda da equipe de especialistas da E-goi. Em conclusão, você pode começar a revolucionar os resultados da sua empresa a partir de hoje. 💪

Quer ter acesso ao nosso Acompanhamento Estratégico Personalizado? Nós te ajudamos!

Quero Testar »

Conheça os detalhes sobre o Interactive Voice Response, em quais casos ele é recomendado, além dos benefícios da utilização.

Mesmo com o avanço dos canais digitais, o suporte ou atendimento ao cliente via telefone ☎️ ainda é uma realidade em muitas empresas. Contudo, é um meio que exige muitos investimentos e que nem sempre consegue proporcionar a agilidade esperada. Com o melhor dos dois mundos, o Interactive Voice Response (IVR) é um canal de voz rentável que, ainda assim, permite fazer comunicações personalizadas.

Vem saber mais sobre esse canal 🔊 e como aplicá-lo à sua empresa!

O que é o Interactive Voice Response?

O IVR é um sistema automático ativado por comandos para identificação, segmentação e mapeamento de chamadas. Envia comunicações direcionadas, enquanto coleta dados sobre o comportamento do cliente. O canal contribui com a redução de custos e ainda aumenta a eficiência das comunicações futuras. Os formatos mais usados são as chamadas e os torpedos de voz.

O sistema permite:

  • Encaminhar o cliente para o fluxo mais conveniente;
  • Enviar uma mensagem dedicada e única a cada cliente;
  • Fazer a automatização de campanhas de acordo com o comportamento dos usuários.

Como funciona

Primeiro passo: escolher o objetivo da campanha. A empresa pode enviar uma chamada de voz para entrar em contato com o cliente após a utilização de um serviço, para verificar o nível de satisfação, por exemplo.

Segundo passo: definição da rota que a mensagem irá percorrer, ou seja, o fluxo de comunicação. Em seguida, o texto da mensagem deve ser inserido na plataforma, para ser sintetizado na voz selecionada. Sim, há algumas opções de vozes e de idiomas para reproduzir a mensagem! 😮

É possível ainda utilizar códigos de personalização, para tornar a mensagem direcionada e única (1 to 1). Entretanto, você também pode inserir na plataforma áudios já gravados, se preferir um tom mais próximo da sua comunicação.

O cliente vai receber a mensagem de acordo com o comportamento configurado no fluxo de comunicação. Em seguida, dependendo dos comandos que você configurar para acompanhar a mensagem, a chamada será finalizada. Se os passos anteriores não forem o suficiente para resolver a questão do cliente, ele poderá ser direcionado para outro fluxo de comunicação, sem necessidade de haver intervenção humana.

Todas as informações recolhidas na chamada ficam disponíveis para outras estratégias de comunicação. É possível, ainda, integrá-las a um CRM.

Quer saber o passo a passo para criar uma mensagem de voz IVR? Saiba mais neste link!

Quem pode usar

O IVR é uma solução viável principalmente para empresas fornecedoras de serviços, com necessidades de comunicar com o cliente, mas sem outbound center (call center associado).

As campanhas de voz também são indicadas para empresas de grande dimensão que queiram fazer o envio de anúncios em larga escala, por exemplo.

Para ter uma estratégia completa, integre a uma plataforma de automação de marketing!

Conclusão

O IVR é um canal por voz 🔊 que pode ser uma alternativa outbound para fazer follow-up, acompanhamento, recolha de feedback e nutrição, de forma mais prática e rentável. Para aproveitar o canal ao máximo, é necessário ter um bom conhecimento sobre a sua base de dados. Portanto, quanto mais segmentados estiverem os contatos, maiores são as chances de fazer envios de comunicações para as pessoas certas, no momento certo.

Em conclusão, ao utilizar as campanhas integradas, o canal de voz é capaz de ter uma taxa de eficiência muito maior do que os envios em massa não direcionados.

Tem interesse? Nós te ajudamos!

Quero Testar »

First-party data, em uma estratégia de marketing, pode complementar, aprimorar e reduzir a necessidade de outros tipos de dados.

Durante muito tempo, fez parte da rotina da maioria dos profissionais de marketing a criação de uma estratégia first-party data. Eram números de investimento elevado em dados sobre consumidores potencialmente interessados nos seus produtos e/ou serviços, de forma a melhorar as estratégias de segmentação e comunicação. 

Há uma verdade comum para todos os profissionais de marketing: reter clientes traz mais benefícios estratégicos do que encontrar novos. Segundo um estudo da Deloitte, os clientes com maior frequência de compra gastam 33% mais do que os novos consumidores. 

O estudo refere que esses mesmos clientes fornecem o maior e mais valioso recurso estratégico: os dados. Uma estratégia baseada em dados primários garante um maior retorno de investimento do que o mesmo em qualquer outro tipo de dados. 

No entanto, muitos profissionais de marketing não têm as tecnologias e estratégias de dados certas para aproveitar o potencial que estes dados poderão trazer ao seu negócio.  

Criar o tipo de experiências personalizadas, que impulsionam a fidelidade e a retenção da marca, significa ser capaz de entender e responder aos desejos, necessidades e intenções do cliente com relevância contextual. Não há melhor maneira do que criar uma estratégia baseada em dados primários para potencializar o seu negócio. 

Mas por onde começar?

Mapear todas as fontes de dados primários 

Uma estratégia de first-party data deve levar em conta todos os possíveis pontos de contato e de recolha de dados dos clientes. 

Este mapeamento, ainda que complexo, é fundamental para as decisões estratégicas que decidir tomar para o seu negócio. Algumas fontes de dados primários poderão ser mais óbvias do que outras, como por exemplo:

Site

Se pudéssemos apostar, diríamos que esta teria sido a primeira fonte de dados primários. E com toda a razão! Monitorar comportamentos e transações do usuário é importante para posteriores estratégias de retargeting específicas. 

Alertamos, no entanto, para as versões mobile do seu site. Nem todos os dispositivos permitem a utilização de JavaScript ou cookies. O incentivo ao login através do site permite a coleta de dados importantes sobre os usuários, mesmo no futuro pós-cookies, com first-party data. 

Aplicativos

Os utilizadores de app’s móveis são, por norma, os mais entusiastas pela sua marca. Afinal, fizeram o download do app para o seu celular. Para garantir que os dados coletados são os que melhor beneficiam a estratégia da sua marca, defina quais são os eventos que melhor se adequam à estratégia de coleta e tratamento de dados. 

E-mail e SMS

Os bons e velhos amigos nunca desiludem! Com o envio de comunicações por e-mail, é possível saber dados como, por exemplo, taxas de abertura, cliques, taxas de rejeição, etc. Há ainda informações sobre quem está envolvido com estas comunicações ou não. Isto permite que se segmentem os contatos mediante o nível de interação. Os dados das SMS são semelhantes: como as mensagens de texto são uma forma íntima de comunicação, os clientes permitem que as marcas se envolvam via SMS com um alto nível de interesse.

Ponto de venda e CRM

Este tipo de informação offline passa muitas vezes despercebido. No entanto, são fontes de dados que permitem conhecer os hábitos e comportamentos dos consumidores. Estes dados são importantes para a segmentação online e ativação dos seus melhores clientes. Também são muito úteis para medição e análise: as marcas podem ver o que está vendendo, o que não está e onde.

Beacons

Os beacons em loja física geram novos tipos de dados de clientes na loja, baseados em localização. Deste modo, oferecem um enorme potencial de dados, pois captam aspectos detalhados sobre o comportamento do consumidor.

Call centers

Os call centers são um dos pontos de contato mais importantes entre a marca e o mercado. Se trata de um ponto com um potencial de conversão ou, por outro lado, onde a maior parte dos problemas surgem. Ainda que se invista em uma estratégia de automação no suporte ao cliente, os dados ricos que estão sendo produzidos não devem ser deixados de lado.

Integrar os diferentes dados

Depois de mapear todos os pontos de contato, é importante integrar, agregar e cruzar as informações coletadas. Está na hora de decidir qual será a combinação de dados para cruzar e criar novos insights. 

Na maior parte dos casos, verificamos que o cruzamento de dados primários está centrado, sobretudo, em dados transacionais. No entanto, estes dados não trazem grande relevância, a não ser que sejam colocados em contexto, como, por exemplo, para entender o comportamento do cliente em loja física, qual foi a data da última compra em loja, qual a categoria com maior frequência de compra. 

O objetivo é ligar todos os pontos, literalmente! Soluções como o Customer Data Platform fornecem insights valiosos para a sua estratégia, uma vez que este tipo de plataforma permite criar segmentos altamente precisos, dada a riqueza de dados coletados e agregados. 

Um “Cliente Frequente” poderá ser alguém que compra muitos produtos poucas vezes em loja física ou então compra poucos produtos, mas muitas vezes online. Um fã da sua marca pode ser definido após 50 visitas à loja física ou então mediante a interação com as campanhas de comunicação. A estratégia de negócio torna-se algo vivo, que vai evoluindo com a riqueza dos dados captados.

Em conclusão

Ao unir todos os canais e informações, será muito mais fácil perceber se um cliente passou de um e-mail para a app, onde concluiu a compra. Com uma visão completa deste processo e as suas múltiplas variantes, é possível segmentar e otimizar para diferentes públicos e se voltar para a conversão. 

Portanto, uma estratégia first-party data entrega visões precisas da sua audiência, o que permite criar e inovar na forma como interage e comunica. Desta forma, melhora a experiência do utilizador. Baseado no que uma empresa conhece sobre a sua audiência e o seu comportamento em todos os pontos de contato, é possível desenhar experiências e contatos positivos e inesquecíveis, com base, por exemplo, em interesses, preferências, localizações, histórico de compras e muito mais.

Quero testar »

Aliança entre as plataformas irá oferecer uma experiência completa com funcionalidades de e-commerce e marketing digital para empresas de grande dimensão

A VTEX, plataforma de comércio digital para grandes empresas e varejistas, assinou uma parceria com a E-goi, para a expansão das operações nos mercados português e brasileiro. A parceria entre as duas tecnológicas irá permitir a oferta de uma experiência completa para e-commerces, desde a criação da loja online, até ao desenvolvimento de fluxos automatizados de comunicação entre clientes e leads.

Segundo o CEO da E-goi, Miguel Gonçalves, a parceria vai potencializar ainda mais o comércio online. “A VTEX é uma das principais plataformas para digital commerce e esta colaboração vai permitir acrescentar muito mais valor graças às soluções de performance de marketing, capazes de personalizar cada experiência e de comunicar em todos os canais, quer sejam online ou offline”, afirma.

Thiago Borba, Head of Sales da VTEX Portugal e Miguel Gonçalves, CEO da E-goi

A integração entre as duas plataformas, de maneira simplificada, irá permitir a sincronização de contatos e produtos, ativação de canais web e tracking de comportamento, notificação de encomendas ou pedido via SMS, bem como fluxos automatizados para conversão de visitantes da loja online, recuperação de um carrinho abandonado, cross-selling e muitas outras funcionalidades. 

Esta parceria com a E-goi vem reforçar ainda mais a nossa presença no mercado português. Estamos muito felizes em poder oferecer uma nova solução aos nossos clientes, com funcionalidades inovadoras que certamente melhorarão a experiência dos consumidores dos nossos clientes. Graças a isso vamos fortalecer ainda mais a rede de empresas que confiam na VTEX neste território tão importante para nossa estratégia na Europa.” refere Thiago Borba, Head of Sales da VTEX Portugal.

Quero Testar »

São muitas possibilidades para atrair um lead qualificado. Leia o artigo completo e aprimore a captação de clientes na sua agência

Já passamos da época em que o boca a boca era o principal meio para fazer a captação de clientes. O avanço da tecnologia da informação e o aumento do sentido crítico do Consumidor 4.0 impulsionaram as empresas a criarem novas estratégias de atração do público-alvo.

Com a intensificação da nova era do marketing digital, as agências procuram cada vez mais se destacar em um mercado cada vez mais competitivo, para conseguir atingir o seu nicho e se diferenciar das demais. Contudo, mesmo com uma meta definida, muitas empresas não conseguem criar um planejamento estratégico para aumentar as vendas.

Neste artigo, vamos apresentar a importância de investir tempo e dinheiro em um planejamento e dicas de como potencializar a captação de clientes. Confira!

Estratégias para melhorar as suas vendas e captação de clientes

Em primeiro lugar, é muito importante integrar os setores de venda e marketing da agência. Quando esses dois departamentos estão em sintonia, os resultados tendem a ser melhores. Por isso, garanta que as duas equipes estejam alinhadas com as metas e as estratégias para captação e nutrição de leads.

Além disso, para trabalhar na captação de novos negócios, é essencial definir a estratégia de venda do serviço. Ou seja, caso a sua agência queira ter como foco a venda de um pacote digital com produção de conteúdo, gestão de redes sociais e campanhas no Facebook Ads, qual será o planejamento para captar novos clientes?

Listamos as cinco dicas essenciais para aplicar na sua agência e colocar o seu plano de ação em prática. 

1. Entenda bem o cliente

Compreender os tipos de consumo do seu cliente, os interesses, as dores e as perspectivas é fundamental para a sua equipe elaborar um esquema de captação. Além disso, as chances de cultivar clientes leais e promover uma experiência marcante na vida de cada um aumenta após esse entendimento.

Para que isso aconteça, faça interações diárias, ajude a tirar as dúvidas, elabore formulários de pesquisa de satisfação após a compra de um produto ou serviço. Além disso, procure criar uma relação sólida que permita que, nas próximas vezes, o cliente lhe procure para solucionar outros problemas.

2. Invista em estratégias de conteúdo

Existem muitos meios para criar conteúdos relevantes e que sejam do interesse do seu público. É possível investir em blog, podcast, vídeo, post, e-book, infográfico e e-mail marketing, por exemplo.

Às vezes, o simples fato de entregar um conteúdo com uma dica que resolva uma dúvida ou um problema já possibilita uma aproximação com o utilizador. Permite ainda que consiga diferenciar um lead qualificado de um visitante.

De uma forma geral, a produção de conteúdo oferece um leque de oportunidades para gerar engajamento com a sua audiência. Algumas opções são comentários, compartilhamentos e aumento de fluxo no tráfego do site. Por isso é necessário avaliar os principais indicadores e garantir que eles sejam revistos para uma possível mudança de estratégia.

3. Implemente ações de branding da empresa

Se pensa que uma ação em um outdoor fará com que a sua marca seja mais conhecida e procurada pelo seu público, está enganado! A construção da marca é um trabalho de longo prazo, que requer muita dedicação e constância para ser consolidada no mercado. Caso contrário, a sua empresa terá uma barreira para ser encontrada por novos clientes.

No entanto, a marca precisa ter uma forte identidade visual, um tom de voz que comunique com o seu público, além de uma personalidade fácil de ser identificada e um posicionamento sólido do produto ou serviço. Isso tudo para que ela seja notada e lembrada como algo único.

4. Utilize canais digitais

Hoje em dia, é muito difícil não encontrar seus atuais e potenciais clientes nas redes sociais. A tendência da utilização do Facebook, Instagram, YouTube e outras frentes aumentou tanto que fez as empresas se adaptarem a estas plataformas, para aumentar as vendas e o brand awareness.

Pode parecer fácil criar um perfil com foco na captação de clientes nas redes sociais. Contudo, ter uma equipe com um produtor de conteúdo (copy, imagem e vídeo) e um analista de marketing facilita o processo. Contribui, por exemplo, para criar estratégias com o intuito de alcançar novos públicos de forma orgânica ou paga (ads), e aumentar a captação de clientes.

5. Procure ferramentas de automação de marketing

Já pensou em ter os seus leads bem agrupados em uma plataforma que promove ações de marketing digital para converter em vendas?

Uma plataforma como a E-goi permite potencializar os canais de comunicação com o cliente. É possível realizar o envio de e-mail marketing segmentado, entrega de notificação push, envio de SMS e fazer a emissão de relatórios para acompanhar a performance das campanhas. Além disso, faz a análise para melhorar as ações de marketing da sua empresa.

A plataforma multicanal é capaz de realizar a criação e a gestão de listas de contatos, com formulários para aumentar a base de dados, além de campanhas com templates gratuitos e designs modernos, prontos para usar e editar livremente. Com os fluxos de automação, só é preciso criar a comunicação uma vez. A plataforma cuida de todo o resto.

Em conclusão

Neste artigo destacamos a importância de criar estratégias eficazes ao ponto de aumentar o ticket médio com a captação de clientes. É preciso investir na visibilidade da agência e estar onde o cliente está, com conteúdos que sejam relevantes para este target.

Estas dicas foram interessantes para ajudar na sua agência? Na E-goi, temos um programa de agências parceiras, na qual ajudamos a ampliar a oferta de serviços de marketing digital e o ticket médio. Clique aqui e saiba mais:

Quero participar »