Search
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

6 dicas de como aumentar a vantagem competitiva de seu negócio, além de pontos que comprovam a importância do marketing para o maior crescimento da empresa. Saiba mais!

Para que uma agência de marketing possa se destacar no mercado e conquistar vantagem competitiva, existe a necessidade de contar com um bom planejamento estratégico, elaborar uma boa estratégia para a gestão de clientes, além de estar por dentro das principais novidades do mercado. Isso vai contribuir, efetivamente, para que a empresa possa contar com um diferencial em relação aos seus concorrentes, o que trará um maior público e também terá a oportunidade de transmitir mais conhecimento ao mercado.

O que gera muitas dúvidas às pessoas está relacionado ao fato de que, muitas vezes, gestores apresentam dúvidas sobre como elaborar ações efetivas para que traga vantagem competitiva. Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você fique por dentro de algumas dicas importantes sobre o tema. Continue a leitura e saiba mais!

Conheça 6 dicas de como uma agência de marketing pode conquistar vantagem competitiva

1. Analise a concorrência

Com o objetivo de que a sua agência de marketing possa se destacar dos concorrentes, o primeiro passo é conhecê-los para uma análise sobre o que tem sido feito e quais são as principais estratégias utilizadas por eles. Para uma análise eficaz, deve-se identificar inicialmente quais são as principais empresas que atuam no mesmo segmento para que a sua equipe possa fazer um estudo sobre eles.

Aqui, vale a atenção de que nem toda agência de marketing será o seu concorrente direto. Deve-se estar atento, por exemplo, ao público que o seu negócio deseja alcançar, aos principais serviços oferecidos, além de ter uma noção clara de como a região onde está localizada também influencia nesse sentido.

Exemplo: se a sua agência for especializada em produção de conteúdo com foco nas melhores técnicas de SEO, não será concorrente direta de uma empresa que foca na produção de marketing de relacionamento com nomes de destaque, concorda?

Por essa razão, liste quais são as empresas que possam disputar o mesmo público que o seu negócio e colete informações necessárias sobre elas. Entre os dados a serem entendidos, avalie quais são os principais serviços, quais são as boas práticas de atendimento adotadas, a média de preço, a sua atuação nas redes sociais, entre outros pontos relevantes.

A partir disso, você vai ter informações suficientes para que possa estudar quais são as vantagens daquela empresa frente ao mercado. Avalie as principais qualidades, aqueles pontos que são fortes e que podem contribuir para uma atração de maior público. Assim, você terá a oportunidade de definir quais daqueles itens também será de interesse para a sua empresa investir e crescer.

2. Entenda bem o seu público

Conforme explicado, o público que a sua equipe deseja alcançar vai delimitar muitas de suas estratégias. Por meio desse entendimento, as suas ações de marketing serão mais focadas, além de contar com a possibilidade de uma avaliação mais precisa do mercado, com o objetivo de verificar o que as principais empresas oferecem para esse nicho em específico.

Diferença entre público e persona

Inicialmente, vamos entender sobre a diferença existente entre público e persona, uma vez que é fundamental ter as duas questões bem direcionadas. A primeira trata de uma definição mais abrangente sobre quais tipos de clientes sua empresa deseja alcançar, enquanto a segunda é mais específica e com características mais precisas.

Para que possa compreender de forma mais exata, vamos exemplificar. Suponhamos que a sua agência de marketing esteja voltada especificamente para empresas de pequeno porte localizadas na região onde você atua. Dessa forma, o seu público é composto por proprietários de pequenas empresas cujo principal objetivo é estar mais presente nas redes sociais e contar com estratégias bem definidas para os seus principais canais de comunicação.

Percebe-se, portanto, que é uma definição ampla de quem você deseja alcançar. Nesse caso, como seria a persona? Confira um exemplo abaixo.

  • Márcio, 33 anos, dono de uma academia de alta performance no bairro. Conta com redes sociais, mas não há publicações contínuas e nem mesmo uma estratégia elaborada. Deseja estar mais próximo de seus clientes a partir dessas redes, com um cronograma alinhado e um planejamento preciso para melhor organização de toda a equipe.

Ou seja, a persona é a representação semi-fictícia de seu cliente ideal, o que contribui para uma melhor tomada de decisão de toda a sua equipe.

Conversa com pessoas interessadas

Como definir o seu público e a sua persona, afinal? O primeiro passo é a análise de sua cartela de clientes atual. Entenda por que eles procuraram a sua empresa, saiba como o seu negócio contribuiu para o crescimento deles e avalie quais são os seus principais desafios e dores.

Assim, você tem a possibilidade de criar uma segmentação de público, uma vez que as suas soluções podem ser úteis para os mais diversos tipos de clientes. Partindo do exemplo apresentado, a sua agência pode contar com clientes que pretendem se expandir digitalmente, mas que ainda não investe em nenhum tipo de conteúdo para os canais, enquanto outras pessoas cheguem até a sua empresa já com as redes estruturadas e amplo crescimento.

Ou seja, selecionar quais de seus clientes já têm algum tipo de conhecimento sobre o serviço oferecido, enquanto outros precisam ser educados sobre os trabalhos realizados pela sua agência, contribuirá para que a sua empresa possa oferecer conteúdos e definir o tom a ser utilizado para as duas situações, o que aumenta a efetividade das negociações.

3. Aposte em inovação

Se a sua agência ainda não aposta em inovação e não busca por descobertas em vendas, está mais que na hora de mudar esse cenário. Entre os principais benefícios de apostar nesse tipo de estratégia, pode-se destacar o fato de que a relação entre a equipe se tornará mais dinâmica. Quando o colaborador entende que trabalha em uma empresa inovadora, naturalmente ele também se tornará mais inovador, propondo soluções para melhorar a experiência de seus clientes e buscando ideias no mercado que poderão ser eficazes para o seu segmento.

Além disso, a agência terá a possibilidade de vender mais e aumentar a receita, justamente porque contribuirá para o investimento em serviços com mais qualidades e pensado especificamente no cliente, o que permitirá que ele amplie o seu contrato e se fidelize. Por fim, vai oferecer maior valor aos seus produtos e serviços, especialmente pelo fato de entender as principais necessidades dos clientes e trabalhar em cima delas.

Para que a sua empresa atinja êxito nesse sentido, existe a necessidade de conhecer as principais ferramentas no mercado e avaliar quais delas seriam úteis para os serviços oferecidos pela sua agência. Hoje, por exemplo, há soluções que podem ser investidas relacionadas à gestão do negócio e também para a automação de atividades, como o marketing.

Assim, analise quais são as necessidades de sua equipe e o que é oferecido que contemple esses desafios, de modo que ofereça uma melhor experiência para os clientes, além de contar com uma gestão mais eficaz de seus membros.

4. Invista na capacitação dos profissionais

Investir na capacitação de profissionais traz inúmeras vantagens para a agência. A primeira que deve-se destacar está relacionada com o fato de que haverá uma maior retenção de seus talentos. Quando a empresa se preocupa com o conhecimento de seus profissionais, há o entendimento de que a gestão está atenta às principais exigências do mercado, além de transmitir a confiança para que eles sempre busquem por aprendizados, independentemente da necessidade.

Consequentemente, se tornarão mais produtivos, uma vez que o profissional que conta com habilidades específicas bem desenvolvidas, vai executar as suas funções em um espaço de tempo muito menor, permitindo com que tenha ainda uma visão mais estratégica sobre o negócio. Isso sem falar da melhor organização no trabalho, justamente por executar as demandas de forma mais simplificada.

Traz, ainda, melhorias no clima organizacional, justamente por se sentirem mais valorizados e com mais credibilidade para propor soluções que contribuam para o crescimento da agência. Assim, você vai contar com uma equipe motivada, engajada com as metas preestabelecidas e disposta a sempre trazer novidades que serão úteis para a vantagem competitiva da empresa.

Afinal, como investir na capacitação de seus profissionais? O primeiro passo é fazer uma pesquisa interna para o entendimento das principais necessidades de seus colaboradores. Por meio dessa estratégia, você vai traçar quais são os principais gargalos encontrados pelos profissionais no dia a dia de suas funções, o que permite buscar por cursos que trarão melhorias nesse sentido.

Logo em seguida, entenda quais são os principais tipos de capacitação que podem ser oferecidos em uma empresa:

  • comunicação — contribui para o aperfeiçoamento da comunicação entre a equipe e também com o cliente, trazendo as melhores práticas para fornecer feedbacks aos colegas de trabalho e até mesmo estimulando o rapport com os clientes envolvidos;
  • liderança — contar com bons líderes, independentemente da área de sua agência, é um passo fundamental para que os profissionais estejam aptos para qualquer desafio, além de orientarem de forma positiva a sua equipe para que desenvolva os seus principais potenciais;
  • motivação — às vezes você conta com uma equipe preparada e ideal para lidar com as mais diversas adversidades de seus clientes. No entanto, falta motivação. Por essa razão, procure investir também em treinamentos para que desenvolva o sentimento de pertencimento por parte de seus liderados;
  • formação — cada colaborador conta com competências e habilidades que devem ser desenvolvidas. Por essa razão, há capacitações que permitem esse diferencial, de modo que cada profissional exerça o melhor para que as entregas sejam mais eficazes.

Outro ponto que deve ser mencionado está no fato de que os próprios profissionais podem contribuir para o crescimento uns dos outros. Em uma mesma equipe, por exemplo, você pode contar com uma pessoa que tenha muita habilidade em determinado assunto, mas que não domina tanto outra área da empresa. Assim, há a possibilidade de o negócio desenvolver encontros semanais, nos quais cada colaborador possa passar para frente o seu conhecimento, o que permite uma maior aproximação de toda a equipe.

5. Entenda o conceito de capacidade dinâmica

Entender o conceito de capacidade dinâmica é outro ponto essencial para a vantagem competitiva de sua agência. Porém, o que de fato significa essa questão? Trata-se na habilidade desenvolvida pela empresa para que possa sobreviver ao longo do tempo e se adaptar às mais distintas realidades, de acordo com as exigências do mercado e com as transformações dos hábitos e necessidades de seu público.

Trazendo como exemplo as grandes corporações, pode-se comparar as atuações da Nokia e da Apple diante da revolução dos smartphones, por exemplo. Enquanto a primeira não estava preparada para oferecer equipamentos que condiziam com a atual procura, a segunda soube entender o que era a realidade das pessoas naquele momento e adaptar seu atendimento e o seu produto.

Mas como desenvolver essa estratégia? Inicialmente, deve-se entender sobre a importância de ter uma equipe eficaz e de delegar tarefas. Concentrar as principais atividades apenas na liderança impede com que haja outros pontos de vista sobre o mesmo assunto, o que acaba por desestimular a inovação.

Além disso, é preciso contar com especialistas nas mais diversas áreas, uma vez que contribuirá para diminuir erros estratégicos, além de reduzir custos. É preciso, ainda, contar com indicadores para que analise o crescimento do negócio, bem como ampliar a área de atuação com foco em manter a qualidade dos serviços.

Deve-se relembrar, também, sobre a necessidade de sempre trazer novidades. Agências de marketing precisam se reinventar constantemente, justamente pela transformação observada no mercado em tão pouco tempo. Caso a sua empresa saia na frente de seus concorrentes com determinada estratégia, certamente vai observar um crescimento mais significativo, além de trazer a certeza ao seu público da qualidade do que é oferecido.

6. Cuide bem dos recursos

Antes de explicarmos como cuidar bem dos recursos de sua agência, é preciso inicialmente entender quais são os 3 principais.

Recursos tangíveis

São os recursos mais fáceis de serem identificados, uma vez que é o recurso financeiro e físico de sua empresa. Trata-se de todo o equipamento utilizado para as funções no dia a dia, bem como o dinheiro disponível em caixa para investimentos.

Nesse sentido, as empresas devem conscientizar seus profissionais a cuidarem dos equipamentos como se fossem deles, além de haver uma orientação para que utilizar com sabedoria a verba financeira disponibilizada para a sua área.

Exemplo: o setor de eventos de sua agência, ao realizar uma importante ação para a empresa, deve priorizar fornecedores com o melhor custo-benefício, além de fazer diferentes tipos de orçamento para a contratação daquele mais adequado ao negócio.

Recursos intangíveis

Diferente do primeiro caso, não há como observar em números esse tipo de recurso. Trata-se, por exemplo, da relação de confiança que a agência tem com o seu público, além de entender qual é o grau de inovação apostado pela sua empresa.

Além disso, trata-se da cultura de sua agência. Quais são os principais valores buscados em profissionais no momento da contratação? Ao contar com esses itens bem definidos, consequentemente a contratação de novos colaboradores será mais eficaz, o que reduz gastos e retém capital intelectual.

A cultura do negócio vai delimitar, ainda, qual é a identidade da empresa, como são os principais processos, a rotina das pessoas que ali trabalha, bem como o comportamento esperado de cada um nas mais distintas ocorrências.

Recursos humanos

Valorizar os recursos humanos de sua empresa será o grande diferencial para a vantagem competitiva da agência. Ao longo do conteúdo, mencionamos algumas práticas que contribuirão nesse sentido, como a prática de treinamentos.

É preciso que estabeleça estratégias de engajamento perante os seus profissionais, realizando eventos que contribuam para a sua satisfação e para a valorização de suas atividades. O ideal é contar com metas bem estabelecidas, além de promover o reconhecimento por parte daqueles que melhor atinjam o resultado esperado.

Mensalmente, por exemplo, pode-se fazer a premiação de quem “melhor cumpriu com o que é esperado”. Assim, durante a sua rotina, os colaboradores vão correr atrás de exercerem as suas atividades conforme a agência espera, o que trará ganhos para o atendimento e também para a satisfação dos clientes.

Entenda como o marketing poderá contribuir para a vantagem competitiva

Agora que você já sabe quais são as melhores práticas para adquirir vantagem competitiva em seu negócio, chegou o momento de entendermos como o marketing poderá contribuir para a vantagem competitiva. Afinal, essa área de sua equipe deve ser muito bem estruturada, uma vez que é preciso demonstrar, dentro “da própria casa”, que a sua empresa entende como se faz!

Maior proximidade com o público

O primeiro ponto está relacionado com a melhor proximidade com o público. Uma importante forma de tornar isso possível é o investimento no marketing digital. A partir do conhecimento de sua persona e de suas principais dores, existe a possibilidade de produzir conteúdos relevantes que atendam a essa demanda, de modo que atraia pessoas interessadas em seus serviços para os principais canais de atuação.

Assim, a sua agência será enxergada como uma empresa que tenha autoridade no assunto naquele segmento, o que aumentará a confiança de potenciais clientes a entrarem em contato para fechar negócio. Tendo em vista atingir esse objetivo, faça blogposts, infográficos e vídeos para a sua audiência, tomando como base o tom de voz a ser utilizado que seja de acordo com quem vai ter acesso aos materiais.

Faça, ainda, e-books, contendo landing pages com títulos atrativos que convertem para que a sua equipe tenha dados sobre os seus clientes. O ideal, aqui, é entender qual lead é qualificado para a sua empresa. Tomando como base o exemplo dado da agência que busca pequenas empresas locais, o ideal é perguntar nessa landing page onde o negócio está localizado, quantos colaboradores atuam em seu negócio e se ele já investe em estratégias digitais.

Possibilidade de captar e nutrir leads

Consequentemente, ao adotar estratégias de marketing como essas, a sua equipe abre possibilidades de captar e nutrir leads, conforme mencionado. No entanto, como fazer esse fluxo de nutrição? O e-mail marketing aliado à produção de conteúdo é uma alternativa a ser considerada.

Para isso, deve-se ter uma base de e-mails para que possa fazer a nutrição. Não é indicado que compre uma lista com alguns endereços, uma vez que essas pessoas não estarão interessadas nos materiais enviados pela sua equipe. Além disso, deve-se ter um cronograma bem definido, de modo que não haja saturação de mensagens enviadas, o que poderia levar ao lead a classificá-las como spam.

Também deve-se analisar a oportunidade que ferramentas de automação trazem, que possibilita alguns ganhos para a estratégia. Entre elas, pode-se ressaltar:

  • ampliar as oportunidades de venda;
  • contar com um melhor gerenciamento de contas;
  • contar com recursos de marketing avançados;
  • ter soluções que contribuam para aumentar a receita;
  • maior otimização do trabalho.

Além disso, há ferramentas que já contam com alguns templates preestabelecidos, além de trazer a possibilidade de planejar e iniciar o relacionamento de modo mais efetivo.

Estratégias sustentáveis para o negócio

Para que uma estratégia possa alcançar a vantagem competitiva do negócio, é preciso atender a 3 critérios principais. O primeiro deles, já mencionado por nós, diz respeito ao fato de que precisa gerar valor ao cliente, peça fundamental para o sucesso de sua agência. Além disso, deve-se ressaltar sobre a importância de você adquirir uma vantagem que não existam substitutas disponíveis aos concorrentes, de modo que não haja a possibilidade de copiar a sua ideia.

Outro ponto, que é o foco neste tópico, diz respeito à sustentabilidade da ideia. É preciso que ela consiga se concretizar ao longo do tempo, de modo que a sua equipe tenha braços para efetuar as ações planejadas e que os resultados possam ser mensuráveis para aprimorar pontos que ainda não atingiram os objetivos pretendidos.

Nesse sentido, o marketing, especialmente voltado para as estratégias online, se destaca. Por meio das ações apresentadas, você tem a oportunidade de analisar quais clientes está atingindo, quais ainda não conseguiu alcançar, mas que seria interessante para a sua estratégia, bem como analisar como o investimento está trazendo retornos para a sua agência.

Neste conteúdo, você pôde conferir um guia completo de como a sua empresa pode conquistar vantagem competitiva, a importância das ações apresentadas, bem como a necessidade de conhecer o seu público e adotar ferramentas que auxiliem nesse processo. Conforme explicado, investir em soluções de automação contribuirão efetivamente para o que você pretende, de modo que se destaque da concorrência e permita alcançar os objetivos pretendidos.

Caso você tenha se interessado pelo assunto, entre em contato com a gente, converse com nossos profissionais e saiba como a E-goi poderá auxiliar nesse sentido.

A pergunta é obrigatória: as empresas podem tirar proveito da compra por impulso também online?

Embora compartilhem certas características, a maneira como o público compra online e fisicamente difere em alguns aspectos.

As compras online geralmente são mais planejadas. O próprio formato facilita isso, já que os produtos não estão em exibição (ou não todos, pelo menos) e, portanto, devem ser especificamente procurados.

A compra consciente é ótima e nos economiza muito dinheiro, mas o que acontece com os produtos comprados tradicionalmente por impulso?

É possível aproveitar esse tipo de compra no e-commerce?

O que é compra por impulso?

A compra por impulso é aquela que é feita de forma não planejada. Todo mundo foi ao supermercado e acabou comprando produtos que não tinha na lista, sem saber bem o porquê. As marcas sabem desse fato e é que até 65% das compras são feitas dessa forma.

Seja por serem coisas que esquecemos de apontar ou porque o posicionamento nos faz querer momentaneamente, as marcas sabem que ter um lugar estratégico dentro da loja é essencial para que aumentem suas vendas.

Mas, o que acontece agora que as compras online cresceram exponencialmente? Nesse caso, a pessoa não anda pelo shopping e sucumbe ao desejo … Ela pensa o que quer, procura e compra. É por isso que os produtos normalmente comprados dessa forma estão perdendo vendas.

A pergunta é obrigatória: as empresas podem tirar proveito da compra por impulso também online?

Como são aproveitadas as compras por impulso em lojas físicas?

Posicionamento

Existe todo um ramo de marketing dedicado a este tópico. O corredor, a altura da prateleira, os produtos que a rodeiam … tudo influencia muito mais do que pensamos.

Por exemplo, produtos que estão perto de caixas têm grande probabilidade de serem consumidos. É evidente, enquanto fazemos fila para pagar temos mais tempo para olhar o que está por perto e que sem ser imprescindível, podemos querer comprar (pilhas, chicletes, chocolates, etc…).

Caminho obrigatório

Muitas lojas forçam o público a trilhar um caminho predeterminado. Por quê? Porque assim garantem que vêem os produtos disponíveis.

Esse tipo de estratégia funciona muito bem com aqueles setores que têm alguns de seus produtos a preços baixos. Outro formato com a mesma lógica, é colocar o nosso produto estrela num ponto distante da entrada e, ao longo do caminho, posicionar aqueles que queremos vender.

Atrair a atenção

O produto obviamente tem que ser atraente. A forma como o apresentamos determinará se a pessoa o compra ou não.

O exemplo mais conhecido dessa estratégia é a vitrine, que também possui toda uma área de estudos em marketing. Isso porque as marcas sabem que o que nelas é mostrado e a forma de fazê-lo atrairão mais pessoas ao nosso estabelecimento e, com isso, aumentarão as vendas.

Ofertas estacionais e relacionadas

Um bom desconto na hora certa é sinônimo de sucesso. Por definição, compras por impulso são aquelas que são geradas a partir de um desejo instantâneo, então o contexto do tempo é muito importante aqui. Um casaco não é desejado no auge do verão.

A lógica das ofertas relacionadas é a mesma. Se comprarmos um celular, oferecer fones faz todo o sentido, pois o consumidor encontrará a conexão entre os dois. Ou você acha que seria mais bem-sucedido baixar o preço por quilo de tomate? 😬

Como faço para trazer essas estratégias para meu e-commerce?

A Internet é um canal ideal na hora de descobrir novos produtos e serviços, mas claramente menos eficiente na hora de adquiri-los. Os processos exigidos pelo comércio online (registro, autenticação, pagamento …) aumentam o tempo entre o desejo e a compra, momento em que o cliente pode pensar melhor se realmente precisa do produto.

Não estamos tentando enganar o público. Vamos apenas tentar transferir o formato físico para o digital, para que consigamos impactar com a mesma eficácia que fazemos no ponto de venda.

  • Branding.

É claro que deve haver uma criação prévia da marca. Os sucessivos contatos que temos com a pessoa devem gerar proximidade e confiança.

A confiança na nossa empresa é um fator essencial para a concretização da compra. Ninguém vai ceder dados pessoais e / ou financeiros a quem não conhece. Por isso este ponto é claro: marcar presença em diferentes canais, mostrar a face humana da sua marca, construir relações de confiança. As decisões de compra serão feitas mais rapidamente.

  • Ofertas especiais.

Produtos que costumam ser comprados impulsivamente são aqueles de menor risco financeiro, ou seja, mais baratos ou cujo custo-benefício é percebido como positivo. Ao criar ofertas atraentes, teremos uma chance melhor de despertar o desejo.

Tenha ofertas relacionadas a épocas específicas do ano. Pense que é sempre uma boa altura para as pessoas visitarem sua loja online, portanto, ao aumentar o tráfego de usuários com uma isca, conseguiremos que eles entrem no nosso site, aumentando as chances de comprar outros produtos.

  • “Entra no olho”

Crie vitrines virtuais onde as pessoas possam escolher os produtos. Use, é claro, fotografias de qualidade e definições completas e relevantes sobre o produto.

Você pode usar o Instagram Shopping, por exemplo, que permite, apenas clicando na foto, mostrar as informações do produto e direcionar a pessoa para o ponto específico do site da sua empresa onde poder comprá-lo.

Catálogos virtuais.

Os catálogos virtuais seguem a mesma lógica dos catálogos porta-a-porta, com a vantagem de serem muito mais baratos e respeitarem o meio ambiente. Além disso, devido à pandemia, evitamos um ponto crítico de contato.

  • Personalização

Agora é a hora de se comunicar com os clientes de forma proativa. Use o histórico de compras, os tempos que você interagiu com a pessoa, para enviar produtos relacionados aos seus interesses.

Só conhecendo as características de cada um teremos sucesso no envio de campanhas. E não é tão complicado! Colete os dados que você possui e baseie-se neles para inferir o que aquela pessoa em particular precisará ou desejará no momento certo. Se o seu banco de dados for muito grande, não se preocupe, todo esse processo pode ser automatizado.

  • Facilite as compras

Como já referimos, uma das “desvantagens” das vendas online é o período que decorre desde a decisão de compra (ou sucumbe ao desejo) até o pagamento ser efetuado. Por isso é muito importante que consigamos, além de disponibilizar diversos gateways, que sejam confortáveis ​​e rápidos para o consumidor.

Não force o preenchimento de campos desnecessários nem forneça mais informações do que o estritamente necessário. Use formulários que consigam “lembrar” a pessoa para que ela possa acessar o mais facilmente possível.

Lembre-se: cada clique representa uma quebra de 30% no percurso do usuário até à compra.

Como vimos, a compra por impulso representa uma porcentagem significativa de alguns produtos, então não podemos deixar de notar. O uso das ferramentas que o mundo online coloca à nossa disposição nos ajudará a atingir os clientes de forma mais eficaz, aumentando assim as vendas.

Você já ouviu falar em snap salling? Entenda um pouco mais sobre os benefícios desse método de abordagem de vendas aqui neste artigo.

Entre tantas formas de conquistar um novo cliente, está o snap selling, uma metodologia bastante direcionada a um público que não quer passar por processos complexos na hora de suprir determinada necessidade ou um problema que estejam passando.

Existem diversas maneiras de cativar determinado grupo de consumidores e maximizar as principais vantagens e características dos seus produtos e serviços. No entanto, é necessário ter um conhecimento mais profundo nessa área, a fim de saber lidar com todo tipo de cliente.

Nos tópicos a seguir, mostraremos a você qual é o significado dessa expressão, como ela é aplicada no seu negócio e quais são os princípios que sustentam essa estratégia. Ficou curioso? Então continue aqui conosco e tenha um excelente momento de aprendizagem!

O que é snap selling

Jill Konrath é uma americana, formada pela Universidade de Minnesota, que já tem diversos livros sobre vendas, entre eles o “Snap Selling: speed up sales and win more business with today’s frazzled customers”, lançado no ano de 2010.

O intuito é melhorar a abordagem na hora de vender e fazer com que os vendedores estejam cientes das exigências que o consumidor atual adquiriu ao longo do advento da internet e da facilidade que os avanços tecnológicos trouxeram.

Quais são os princípios do snap selling

Esse termo é formado pelo acrônimo que é visto como os principais princípios que ajudam a propagar e implementar essa técnica dentro de um empreendimento. Veja o significado de todas as letras:

  • simplicidade – tornar o processo de vendas simples para uma tomada de decisão mais rápida;
  • novidade – maximizar as vantagens de um produto ou serviço e colocá-lo como a melhor solução para aquele cliente;
  • alinhamento – conhecer e adequar-se às necessidades e aos anseios dos clientes, a fim deles estarem convictos a fechar a compra;
  • prioridade – trabalhar com o gatilho mental da urgência no intuito de não fazer o cliente desistir da compra por qualquer eventual motivo.

Esse método é ideal às empresas que desejam superar suas metas e trazer uma otimização de resultados dentro do ponto de venda. É também uma ótima alternativa aos que têm um público muito ansioso e com a necessidade de resolver uma demanda de maneira prática e rápida.

Como é a aplicação do snap selling no seu negócio

Antes de treinar os vendedores com o método snap selling, é necessário que sua empresa estude amplamente o comportamento e o perfil dos seus consumidores. Afinal, de que maneira você oferecerá soluções a eles, sem conhecer os reais desejos deles?

Várias atividades poderão ser feitas antes dessa implantação. Entre elas, o mapeamento do processo de tomada de decisão, a análise de alguns indicadores de vendas e também a criação de uma persona, com base em dados reais, que ajudará sua equipe a ser mais empática na hora da abordagem.

É bom lembrar-se de que esse é um procedimento que precisa ser avaliado e controlado a fim de analisar o sucesso de tal implementação. Portanto, sempre fique atento às métricas e mantenha contato com seu time, no intuito de saber o comprometimento de cada um com o desenvolvimento da metodologia.

Durante a leitura deste artigo, você conheceu um pouco sobre o snap selling e a importância que ele tem dentro do seu negócio. Logo, se sua empresa quer aumentar o número de vendas e melhorar o processo de tomada de decisão do consumidor, não deixe de implantar essa metodologia.

Gostou deste conteúdo? Então continue conosco e veja este artigo que fala sobre 5 estratégias que ajudam sua empresa a aumentar as vendas pela internet.

Descontos sem estratégia são como tiros no ar! Só com muita sorte consegue acertar no alvo! Concorda?

Não!

Esse não é mais um artigo que apenas oferece um conjunto de dicas úteis mas que não mostra estratégias, não dá casos práticos e não mostra números.

Por isso, não veio aqui perder seu tempo, muito pelo contrário!

E o melhor é que pode aplicar essas táticas em qualquer tipo de campanha e a qualquer canal de comunicação.

Então criei um vídeo especialmente para você, com estratégias simples, para conseguir criar campanhas de e-mail marketing muito mais eficazes!

Então e os descontos incríveis?

Já vamos chegar lá!

Descontos sem estratégia são como tiros no ar! Só com muita sorte consegue acertar no alvo! Acertei? 🙂

Então vamos ao vídeo. Dá uma olhada:

Se preferir ler ou não tiver tempo para ver tudo, aqui fica um resumo:

Essas dicas correspondem a 5 pontos relacionados com a ativação de gatilhos mentais.

Saiba quais são e aumente suas vendas nos próximos dias!

1. Excesso de escolhas

Não envie uma campanha com vários produtos.

Ao contrário do que possa parecer, muitos produtos poderão confundir e cansar o cliente fazendo que este adie as escolhas para mais tarde.

2. Curiosidade

Faça despertar o desejo, o interesse, a curiosidade…  captando a atenção do seu potencial cliente!

Exemplo: envie uma oferta mas não revele logo no início o que é! Prenda a atenção do cliente até ao fim.

3. Sentimento de Posse

Dê a hipótese de experimentar algo.

Se o cliente experimentar o produto, ficará mais próximo da tomada da decisão e da aquisição.

4. Reciprocidade

Na mesma lógica da dica anterior, pode também realizar uma oferta ou estender o período de teste por mais alguns dias.

Ao lhe oferecer algo de valor sem pedir nada em troca o cliente fica mais propenso a retribuir. Assim, aumenta a possibilidade do cliente adquirir o produto ou serviço.

5. Escassez

Mais escassez significa maior valor!

Quando determinado produto é limitado no preço, tempo ou quantidade, o medo de perder a oportunidade acelera o processo de decisão de compra.

E agora os descontos!

Este foi um ano atípico, por isso, optamos por antecipar a nossa campanha de Black Friday.

Assim, tem mais tempo para aproveitar os descontos usando todas as ferramentas que o E-goi lhe oferece para impulsionar o seu marketing e aumentar as suas vendas.

Garanta hoje mesmo o seu acesso a condições exclusivas nesta Black Friday

Quero meu desconto de Black Friday »

P.S. Mais dicas para a Black Friday: 

Muitas pessoas buscam por fórmulas mágicas para aprender como vender na internet. Entretanto, antes de começar com o conteúdo, temos o aviso: não existe pó de pirlimpimpim. A realidade é que vender online — assim como qualquer processo de comercialização — exige esforços de planejamento, estratégia e organização.

Muitas pessoas buscam por fórmulas mágicas para aprender como vender na internet. Entretanto, antes de começar com o conteúdo, temos o aviso: não existe pó de pirlimpimpim. A realidade é que vender online — assim como qualquer processo de comercialização — exige esforços de planejamento, estratégia e organização.

Pensando nisso, neste material que preparamos, você vai encontrar:

  • pilares básicos para fazer uma boa gestão de vendas;
  • quais ações aplicar para liberar seu estoque por meio de vendas online;
  • uma dica extra para ter controle e tranquilidade nesse processo.

E aí, vem conosco nessa jornada? Acompanhe e fique por dentro de todos os insights!

Como fazer um bom gerenciamento de vendas?

Iniciamos o texto falando que venda é venda. Claro que o canal vai mudar o método, mas o processo de comercializar um produto ou serviço tem sempre algo comum: a necessidade de um planejamento estruturado. Trata-se de estabelecer objetivos, metas, formatos de operação e métricas para analisar os resultados.

O planejamento estratégico é sobre traçar esses objetivos e propósitos, elencando os caminhos e o esquema para chegar até eles. Daí entra a parte tática, preparando para a ação e, é claro, o operacional, onde tudo acontece. Fazer gestão das vendas é articular essas etapas, sempre controlando e ajustando para que o alvo não seja perdido.

Comece pelo propósito

Tudo isso pode parecer muito abstrato, principalmente para empreendedores que não tiveram muito tempo ou acesso a conhecimentos técnicos na hora de abrir o negócio, usando as ferramentas que dispunham para fazer dar certo. Diante disso, preocupe-se em começar a entender como o planejamento estratégico se aplica na visão futura do negócio.

A lógica é bem mais simples do que parece: por que a sua loja existe? Aqui, não é para definir o que ela vende ou como atua, mas sim o motivo por trás disso. Uma vez que se esse direcionamento, vai conseguir também entender esse “como” e esse “o que”.

Esse panorama é determinado por uma ferramenta representativa chamada Golden Circle (cujo livro-explicação leva o mesmo nome deste tópico). Vamos usar as palavras de Simon Sinek: as pessoas não compram o que você faz, elas compram o por que você faz. Sendo assim, é realmente necessário começar por essa etapa: nunca é tarde!

Entenda a gestão na prática

Enquanto você estrutura melhor o seu propósito e toda a questão altamente estratégica do direcionamento, os negócios não param. Sendo assim, é preciso entender o processo de gestão na prática, que está em todo o cotidiano da empresa, inclusive no bom gerenciamento de vendas. 

Você já sabe que precisa de uma equipe altamente capacitada, de um perfil ativo de vendas, de um cadastro de clientes, de uma boa organização no ponto de venda e tudo mais. Entretanto, o processo gerencial (sim, de planejar a venda) deve existir. Lembre-se do Ciclo PDCA: planejar, colocar em ação, medir e ajustar. Constantemente.

Há diversas metodologias que podem ajudar você aplanejar vendas e muitos indicadores que vão acompanhar o desempenho para orientar suas tomadas de decisão. O SPIN Selling é um bem exemplo de ferramenta que você deve conhecer. Vender não é sobre ter dom ou apenas uma boa oratória, é sobre ter técnica e estar preparado. Então não perca tempo!

Por que usar a internet para vender?

As pessoas estão mudando os hábitos de compra, a forma de buscar por produtos e o motivo pelo qual os consomem. Sendo assim, esse é o primeiro grande motivo para começar a vender online:se adaptar à transformação digital.

Certamente você não abriu esse negócio para ficar meses no mercado e depois desaparecer. Se um dos seus grandes objetivos é perpetuar sua atuação, manter-se alinhado às práticas do mercado é importante.

Isso inclui entender a visão dos consumidores e as oportunidades de negócio que surgem com a tecnologia. A internet representa um grande trunfo para quem sabe utilizá-la: é uma vitrine enorme, que economiza muitos recursos e pode trazer resultados massivos.

O que fazer para liberar o estoque por meio de canais online?

Chegamos à síntese da temática do nosso conteúdo: quais são as estratégias específicas para vender online, principalmente para quem tem um estoque em loja física parado e deseja fazer esse capital girar. A seguir, você vai encontrar um passo a passo para alcançar o sucesso nessa missão, veja!

Defina o mix de produtos

Essa etapa pode ser bastante trabalhosa, mas é imprescindível para iniciar o trabalho. Para conseguir vender o seu estoque, é necessário fazer a apuração sobre quais produtos têm “mais pressa”. Você pode selecionar por diversos fatores, como quantidade em estoque, data de validade, sazonalidades etc.

A dica de ouro é traçar o mix de produtos com clareza, sabendo o que você vai ofertar e qual é a demanda em relação a isso. Se você tem uma grande quantidade de um produto, uma promoção para levar 2 é uma boa ideia. Nem sempre é sobre preço. Você pode colocar um produto junto a um acessório e sugerir a compra em “combos”.

O mais importante aqui é que você tenha esse controle, pois é a partir dele que você vai conseguir traçar como vender. Para um produto que está próximo à data limite de comercialização, por exemplo, baixar o preço pode compensar. Quando não é possível potencializar lucros, evitar prejuízos já ajuda.Alinhe estoque e finanças.

Analise o seu mercado

Você tem um volume x de produtos y e z, que deseja comercializar online. Agora é hora de estudar a maneira pela qual você vai fazer isso. Como? Conhecendo o terreno. Além da situação geral do mercado, é imprescindível ter específicos sobre os elementos que compõem a atuação para conseguir tomar decisões que dão bons resultados. Entenda!

Público-alvo

Você tem um propósito, você tem um produto e esse produto tem um objetivo: para quem? Ao pensar sobre como vender na internet, não se engane: é sobre comunicação. Mas como passar uma mensagem se você não conhece seu interlocutor? O destino da sua solução — e da sua comunicação — é o seu público-alvo.

Não vale a pena investir recursos em marketing ou promover ações na internet se você não atingir as pessoas certas, ou seja, aquelas as quais o seu produto se destina verdadeiramente. Trace esse perfil, elenque quais são os problemas que a sua solução vai de encontro e como ela vai impactar a vida desse público.

Personas

Um público-alvo é um direcionamento, mas bastante geral. Você pode destinar o seu produto a moradores da sua cidade, que enfrentam determinada questão e precisam de uma resolução específica. Até então, você sabe mais ou menos quem são essas pessoas. É uma definição rudimentar.

Quando você vai afunilando essas características, você cria esse personagem, chamada de buyer persona. Aí sim a sua comunicação vai funcionar e as vendas pela internet vão acontecer. O motivo é simples: você sabe como abordar e chamar a atenção de alguém que conhece. Você sabe até mesmo onde encontrar essa pessoa.

Há uma ferramenta cujo nome é Mapa da Empatia. Nela, você pode inserir esse personagem para entender — em uma representação visual — o que ela faz, o que ela sente, o que ela fala, quais são os medos etc. Dessa forma, a apresentação dos seus produtos vai mudar e ir de encontro a linguagem que essa persona realmente fala.

Concorrência

Não, se manter próximo da concorrência não é uma má ideia. Na verdade, se você traça quem são os seus competidores, pode observar as ações deles, encontrando falhas — que o seu atendimento pode resolver — e pontos fortes que podem ser trabalhados para incorporação no seu modo de operar. 

Além da apresentação dos produtos, você deve prestar atenção em quais canais a concorrência utiliza, qual é a linguagem que ela pratica, quais preços ela coloca etc. Vale lembrar que cada negócio é único, então é preciso avaliar a viabilidade das ações antes de aplicá-las. Nem tudo que foi sucesso na concorrência vai funcionar para você.

Em suma, você deve definir quem oferece mais ou menos a mesma coisa que a sua empresa para o mesmo público e fazer uma análise sobre eles. Esses são seus competidores diretos. Há também outros produtos e serviços que não são os mesmos que os que você oferece, mas competem o mesmo público.Fique de olho neles!

Use uma boa plataforma de venda

Você fez todo o levantamento do seu estoque e já está com as ideias brotando acerca do que comercializar, a que preço etc. A análise mercado também está ok, maravilha. Mas de nada adianta ter o planejamento perfeito se o canal de venda não colaborar com a sua estratégia. Sendo assim, não deixe de investir em uma boa plataforma de venda.

Quando uma pessoa busca por uma oferta na internet, ela quer a dinâmica da compra, sem complicações e com informações bastante claras. Não omita nada em relação ao processo de venda e certifique-se de que a plataforma ajuda você, tanto no layout e usabilidade quanto nas opções para o consumidor, além das ferramentas de controle e gestão.

Garanta a logística de entrega

Você fez uma maravilhosa comunicação com propósito, usou os gatilhos mentais certos, atraiu o cliente e ele fechou a compra. Maravilha! Daí passa o prazo da entrega, esse consumidor não recebe o produto prometido e todo o sonho se transforma em um pesadelo, levando o relacionamento de vocês à lona. Não cometa esse erro.

Para vender online, a empresa necessariamente precisa garantir a entrega dentro de condições competitivas, cumprindo o que foi acordado. Se você já opera uma loja física, pense em toda a demanda envolvida:

  • as baixas de entrada e saída no estoque;
  • a movimentação do caixa por transações online;
  • o empacotamento;
  • o despacho;
  • a garantia do transporte;
  • questões de troca de produto;
  • estornos de valores;
  • suporte no caso de dificuldade na compra;
  • o pós-venda etc.

É muitíssimo arriscado rodar campanhas na internet — que, quando bem-estruturadas, dão resultado — sem ter todo o aparato necessário para dar suporte ao cliente desde o primeiro acesso até depois do recebimento do produto. Analise bem todas as condições antes, ok?

Capriche nas apresentações

Vender é sobre fazer uma boa apresentação, concorda? Por isso, você precisa conhecer apsicologia de consumo. A forma como você vai abordar um produto ou oferta faz toda a diferença na decisão de compra da pessoa. Além das da própria visualização, o impacto causado pelo planejamento da linguagem é importante.

Os gatilhos mentais são amplamente usados nesse sentido. Você já entrou em um site e viu um cronômetro marcando quanto tempo falta para a promoção acabar? Já ouviu falar em “os 100 primeiros a ligarem”. Tudo isso é técnica de venda! Estude e use na hora de apresentar seus produtos na internet.

Linguagem

O tom de voz, certamente, faz diferença no impacto do cliente ao visitar a sua loja online. É importante que você adeque a linguagem de acordo com o seu negócio. Imagine, portanto, que a sua empresa é uma pessoa: como ela fala? Vale lembrar que os termos utilizados devem estar alinhados com essas características e também com a persona.

Imagens

Lembre-se de que, ao comprar online, o seu cliente não pode pegar os produtos na mão. Fique tranquilo que essa noção de realidade pode vir de outra forma: com boas fotografias do que você está vendendo.

Por isso, vale a pena prestar atenção e, se estiver disposto, contratar um profissional para tirar fotos impactantes das peças a serem comercializadas. Independentemente de quem faz os cliques, é necessário que tudo esteja bem detalhado nas imagens e que todos os ângulos apareçam.

Fique ligado na definição das fotos! Quanto mais os detalhes poderem ser notados, melhor. Nada de postar imagens sem foco ou qualidade, isso diminui (e muito!) o interesse do consumidor.

Depois de tanto trabalho bolando as fotos, é claro que a sua assinatura não poderia ficar de fora. Inclua a sua logo em todas, vale apostar em marcas d’água também. Assim, você evita que roubem as suas imagens!

Descrição

Assim como as fotos dos produtos devem oferecer veracidade, as descrições que acompanham os anúncios também devem apresentar sinceridade e bastante detalhes. Para se destacar em meio aos concorrentes, vale a pena fugir dos textos descritivos padrões.

Lembre-se das dicas do tópico “linguagem” e construa um texto em cima do que foi ensinado e não se esqueça de caprichar no português! Os erros ortográficos e de digitação podem prejudicar todo o seu trabalho até aqui.

Segmente o seu público

Esse assunto é importante tanto para começar a vender online quanto paraaumentar as vendas pela internet: faça segmentação. Lembra que falamos sobre os hábitos de compra estarem mudando, pois é. Mesmo que seu público-alvo seja semelhante, as pessoas têm jornadas diferentes para chegar à decisão da compra.

Você precisa acompanhar ela nesse processo, comunicando a mensagem certa no momento oportuno. Para isso, não é interessante disparar as mesmas mensagens para todo mundo. Ao categorizar os prospects e ir acompanhando o relacionamento dele com a marca, a interação se torna personalizada.

Exemplo

Imagine que você tem um armarinho e conta com estoque de 3 produtos diferentes na sua loja: camisetas brancas infantis, calculadoras científicas e giz de lousa. Você pode destinar a comunicação com mensagens diferentes para grupos de destino diferentes:

  • um cupom de desconto para pessoas que compraram materiais escolares antes ou demonstraram interesse nesses itens, informando da disponibilidade da camiseta branca para a volta às aulas;
  • um SMS falando que a loja preparou uma seleção de calculadoras, categorizados por preço para pessoas que demonstram interesse em material universitário;
  • um anúncio sobre giz de lousa antialérgico para pessoas que estejam buscando materiais para dar aula.

Entende a lógica? A venda é muito mais provável quando você aproxima nesse sentido. Se um cliente sempre compra materiais de escola na loja, que sentido faz oferecer uma blusa de tricô? É importante segmentar justamente para conseguir ir entendendo os perfis e fazer ofertas coerentes.

Invista em automação de marketing

Disparar tanta comunicação, para tantas pessoas e listas diferentes vai dar muito trabalho e demandar muito tempo (que você não tem): calma! Não é bem assim que funciona. Para conseguir esse nível de gerenciamento e eficiência, conte com uma ferramenta paraautomatizar o seu marketing.

Para escolher a ferramenta, leve alguns critérios em consideração: ela precisa contar com diversos canais de comunicação disponíveis — para alcançar as suas personas de verdade —, além de ser de simples uso e disponibilizar suporte especializado no seu idioma. Assim, você consegue rodar sua estratégia de segmentação sem dor de cabeça!

Por que investir em um sistema integrado para vendas online?

Até aqui, já está claro: você precisa da tecnologia para dar presença virtual ao seu negócio. Diante disso, a dica extra que temos é apostar em um sistema integrado para fazer vendas online. Isso significa que oseu sistema de gestão, CRM ou a plataforma de vendas e a ferramenta de marketing devem funcionar em conjunto.

Sendo assim, não abra mão desse recurso, pois essa sincronia vai garantir o bem-estar do cliente e a boa organização da sua gestão, resultando em fidelização e aumento das vendas. Para entender melhor a questão, separamos em 3 blocos os motivos pelos quais essa integração é indispensável, veja!

Proporcione a melhor experiência do usuário

O sistema integrado garante que o seu cliente esteja constantemente sendo lembrado pela sua marca. Vamos combinar: quem não gosta de receber mimos em datas importantes? É claro que o seu cliente vai adorar receber aquela promoção exclusiva para aniversariantes!

O atendimento personalizado é outro processo viabilizado pela integração e que pode melhorar muito ouser experience, além de facilitar o seu trabalho de passar as informações corretas, sempre estando de acordo com a fase de venda.

Entenda que você pode automatizar todas as mensagens enviadas ao usuário, mas isso não significa que as informações devem ter a assinatura de um robô. Personalizar tudo e humanizar cada questão é um diferencial superútil que um sistema integrado possibilita.

Mantenha total controle sobre os processos de venda

Você sabia que é possível observar comportamentos de clientes como o tempo que ele passou observando um produto online e saiu sem comprar? Mas o que podemos fazer com a informação de que o usuário passou 5 minutos informando-se sobre a peça e mesmo assim não efetuou a compra?

Suponha que, após dois dias dessa visita online, o consumidor está passeando nos arredores da loja física e “como um passe de mágica” uma notificação push no telefone do cliente informa 20% de desconto naquele mesmo produto visitado.

Já deu para entender que essa notificação não foi obra do acaso, certo? É possível relacionar os processos de venda e marketing, automatizando mensagens, de acordo com o comportamento do usuário. Além disso, considerando osdiversos tipos de vendas, você pode contar com a estratégia da sincronia de informações para vender ainda mais. 

Melhore o posicionamento de mercado da marca

Para falarmos sobreposicionamento de mercado, primeiramente é preciso esclarecer que: o que corresponde a ele é a primeira coisa que vem à cabeça do seu cliente, quando ele escuta o nome da sua loja.

Entenda que nem sempre a tal imagem coincide com a realidade. Mas não seria ótimo melhorar essa tal impressão? Mesmo tendo diversos aspectos subjetivos para ser construído, o posicionamento da sua marca pode ser influenciado, também, pelo modo que você trabalha o seu produto.

Ao recorrer a programas de sincronização de dados, por exemplo, o seu cliente passa a observar a sua empresa com outros olhos. Afinal, investimento na área de experiência do cliente aumenta, diretamente, a credibilidade do seu negócio.

Se você chegou até aqui, já sabe como vender na internet! Além do mais, percebeu queo seu e-commerce não deve se limitar. Para isso você deve integrar as operações da sua marca, afinal “integração” é uma das palavra-chave para alcançar o sucesso de vendas e, por isso também, o crescimento da sua empresa.

Falando em sucesso e crescimento, nós, da equipe E-goi, estamos sempre trabalhando para ofertar soluções ainda melhores à sua empresa. Que tal ficar por dentro do que temos para você?Entre em contato e saiba mais!

É hora de usar as ferramentas que estão ao nosso alcance para aproximar nossos clientes.

Na terça-feira, recebi um SMS de uma marca na qual havia me inscrito no programa de fidelidade deles há algum tempo.

Tinha 9 euros de saldo para aproveitar e enviaram-me alguns produtos que, dado o meu histórico de compras, poderiam interessar-me por aquele preço.

Entre eles, gostei uns brincos que custavam apenas 7 euros, por isso resolvi ir à loja gastar o meu saldo.

Uma vez lá, como estava na loja, comprei uma jaqueta leve e um lenço. 

49 €.

E os brincos, que eram “grátis”.

Tivesse comprado esses produtos em algum outro momento?

Talvez. Ou talvez não.

A verdade é que graças ao sistema inteligente que me enviou produtos que me podem interessar, fui lá, e uma vez lá …

Quando falamos em marketing, imaginamos grandes cartazes publicitários e ações que atraem clientes para o nosso negócio.Mas o marketing é um conceito muito mais amplo, que abrange todo o ciclo de vida do relacionamento entre as partes. E isso também inclui o que acontece depois que a transação é feita. Porque o que a gente quer é que a pessoa volte sempre, certo?

O que NÃO é um sistema de fidelidade?

Descontos. Ou pelo menos não só. O preço dos produtos é apenas uma das características que levamos em consideração no momento da compra. E o peso disso na tomada de decisões está diminuindo à medida que o mercado amadurece.

É importante que nossa marca encontre seu diferencial (ou seja, o porquê as pessoas compram em nossa loja e não em outra) e o fortaleça. E fazer com que nosso sistema de fidelidade trabalhe para atingir o mesmo objetivo.

Oferece vantagens nos pontos de venda, fretes mais rápidos, experiências personalizadas, produtos exclusivos, acesso a conteúdo valioso, treinamento, atendimento direto … Competir apenas por preço num mundo globalizado é uma missão quase impossível. Conheça o seu público, quais são as suas necessidades e crie a solução adequada!

O que é um sistema loyalty?

Um sistema de fidelização ou loyalty é o conjunto de incentivos com que a empresa recompensa cada ação do cliente de forma previamente estipulada.

É uma forma de aproximar o cliente e conseguir ser relevante e valioso para a sua vida.

Existem muitos tipos de sistemas loyalty, pois dependem do modelo de negócio ou do tipo de produto, mas as características gerais que nos farão ter um sistema de sucesso são sempre as mesmas: simplicidade, incentivos relevantes e proximidade temporal.

Simplicidade

O sistema deve ser simples, baseado em recompensas por pontos ou descontos. Se complicarmos muito o formato, podemos perder a aderência.

Curiosidade: O Paradoxo da Escolha é o fenômeno psicológico que ocorre quando o cliente não termina de tomar uma decisão devido a um número excessivo de opções.

Ivengar e Lepper, da Universidade de Columbia, mostraram que as pessoas compravam significativamente mais quando as alternativas eram suficientes, mas mais limitadas. No estudo, eles exibiram diferentes tipos de compotas para dois grupos, oferecendo 6 em um caso e 30 no outro. Os resultados foram surpreendentes: 12% das pessoas no grupo A fizeram uma compra, em comparação com 2% no grupo B.

Então … vamos simplificar! As pessoas irão “engajar-se” melhor ao nosso sistema se ele for fácil e direto.

Relevância

As recompensas oferecidas devem ser valorizadas e importantes para o público. Se o seu produto ou serviço não se presta a recompensas diretas (por exemplo: bancos ou carros), você pode apostar em outra gama, sejam eles relacionados (tapetes, avaliações …) ou não (viagens, utensílios de cozinha, eletrodomésticos …)

O que temos que deixar claro é que um programa de fidelidade só terá sucesso se o que dá em troca for importante para as pessoas que consomem nosso produto ou serviço. Não precisa necessariamente ser mais quantidade ou um preço mais baixo. É hora de pensar “fora da caixa” e considerar alternativas.

Proximidade

O tempo que decorre entre a ação pela qual a pessoa foi “premiada” e a própria recompensa, deve ser o mais curto possível. É a maneira do cérebro associar uma coisa à outra, sendo a única forma de aumentar o engajamento.

Se estendermos as recompensas por muito tempo, a ação pode perder eficácia, portanto, se a ação não puder ser imediata, temos que associá-la a pontos que o sejam.

Por que é interessante para minha empresa ter um sistema de fidelidade?

Os sistemas loyalty fazem com que o cliente escolha nosso produto ou serviço repetidamente. Ao conhecer aquilo que oferecemos, é muito mais fácil alcançar ao cliente, pois não precisamos conduzi-los pelo funil ou investir tempo em educá-los de forma alguma.

O cliente fiel, aquele que sempre volta, costuma se tornar um divulgador de nossa marca, ou seja, alguém que, por sua satisfação, recomendará nossa solução a todos que conhece.

O relacionamento, portanto, será mais longo, a um custo menor e com um ticket médio maior (é mais fácil oferecer novos produtos ou serviços relacionados a quem já nos conhece e valoriza nossa qualidade).

Não acha que são todas vantagens?

Por que automatizar nosso sistema de fidelidade?

Se o que queremos é aumentar a eficácia do nosso sistema de fidelização, existe algo que não podemos ignorar: a automatização.

Um sistema de fidelidade tem que ser o mais imediato possível, não podemos deixar a recompensa atrasar por ter que implementá-lo manualmente. A ideia é que a ferramenta se comunique diretamente com o consumidor, ou seja, estabeleça as diretrizes apenas uma vez, personalize as informações o quanto quisermos e deixe-as rodando em piloto automático!

Se a sua dúvida agora é como implementá-lo, nós facilitamos!

Qero: o sistema touchless de fidelização automatizada

Espere, espere, espere … Há conceitos demais.

Vamos por partes.

Como já vimos, a automação do nosso sistema de fidelização agiliza e otimiza a relação entre o público e as recompensas, certo? Bem, a isso devemos acrescentar que tudo pode ser feito sem contato.

Dadas as atuais circunstâncias de saúde, é ESSENCIAL evitar tanto quanto possível o contato (físico) com os clientes. Isso não se limita apenas ao relacionamento entre as pessoas, também a qualquer ponto de troca de dinheiro, produtos ou documentação.

Qero é uma ferramenta com a qual poderá comunicar com os clientes através do seu smartphone, criando estratégias eficazes, personalizadas e seguras.

É uma app com o qual conseguimos:

  1. Enviar automaticamente notícias da sua marca e campanhas promocionais para a sua lista de contatos.
  2. Aproveitar as compras por impulso exibindo seu catálogo digital.
  3. Ultra-personalizar as mensagens com base no comportamento coletado de cada usuário.
  4. Convidar o cliente para sua loja física se ele estiver nas proximidades.
  5. Conquistar a fidelidade por meio de um sistema de pontos por compra que você pode resgatar pelas recompensas de sua escolha.
  6. Ganhar visibilidade graças à opção “cartão compartilhado”. Várias marcas se unem para oferecer recompensas mais variadas aos clientes – ideal para pequenas empresas!

Sistema automático e ready to use

Ter um sistema de fidelidade automático, como temos falado, tem muitas vantagens.

Graças a uma ferramento como o Qero terá a sua disposição:

#1 App

Quantos cartões de fidelidade tem / já teve e quantos realmente usou? Os cartões físicos costumam ser um incômodo no portfólio do cliente, por isso as marcas apostam cada vez mais no Apps.

Um app tem a vantagem de não ficar quebrado nem esquecido, pois está no dispositivo mais importante do cliente: seu smartphone. 

#2 Base de dados

Uma base de dados são contactos de pessoas que são interessantes para o seu negócio por serem consideradas, de alguma forma, potenciais clientes.

Ter informações sobre os clientes torna mais fácil acompanhá-los ao longo de sua jornada de compra.

#3 Campanhas

Crie campanhas com objetivos diferentes que podem ser associados a momentos ou comportamentos específicos:

Aniversários, Natal, promoção de produto, proximidade da pessoa com a loja….

O sistema é capaz de “saber” para quem tem que enviar cada campanha de acordo com as condições que estabelecemos.

#4 Segmentação personalizada

Os segmentos são pequenos grupos na lista de contatos que partilham preferências ou condições. Com o Qero, pode segmentar sua lista de contatos para que cada pessoa receba apenas informações relevantes.

#5 Sistema de Pontos

Os pontos são associados automaticamente a cada pessoa de acordo com suas compras. Esses pontos podem ser consultados no aplicativo e utilizados em sua loja ou naquelas com as quais você possui convênios.

#6 Código QR

As ofertas personalizadas podem ser enviadas através de códigos QR evitando vouchers ou cupões de papel que teriam que ser trocados entre o cliente e o vendedor.

#7 Resultados

Todos os envios, campanhas, promoções … ficarão registrados em sua conta, para que você possa tirar conclusões a respeito. O que funcionou melhor? Cumpri meus objetivos? Qual é a maneira mais eficaz de alcançar os clientes?

Essas informações coletadas automaticamente nos permitem modificar as estratégias de marketing e vendas.

Em conclusão…

A fidelização é uma parte crucial da venda. O cliente já nos conhece e o mais importante, a nossa empresa conhece o cliente, então a comunicação é muito mais eficaz.

Sabendo quais produtos ou ofertas enviar e a hora certa, conseguiremos motivar nosso cliente a realizar a compra, fazendo-o sentir que, de fato, ele é o centro de nossa marca. Se, além disso, automatizarmos todo o processo, não teremos apenas um bom sistema de fidelização, teremos um excelente.

Por ter que evitar o contato físico e a menor presença de pessoas na loja, esse tipo de estratégia faz com que o cliente se sinta mais próximo da marca, substituindo, de alguma forma e desde que o façamos, uma comunicação face a face de qualidade. caro.

Quer saber tudo o que um sistema de fidelidade pode fazer por você? Entre em contato com nossa equipe! Temos a solução perfeita para o seu negócio!

Aumentar a confiança do cliente: descubra 6 práticas para aplicar e melhorar esse relacionamento!

Especialmente para empreendimentos que atuam com vendas online, aumentar a confiança do cliente e nutrir esse relacionamento é muitíssimo importante, tanto para aumentar a retenção quanto para se tornar referência no segmento e dar mais visibilidade ao negócio. Marcas de confiança tornam-se bem posicionadas no mercado.

Sendo assim, esse é um fator imprescindível a ser trabalhado pela gestão do e-commerce. Pensando nisso, trouxemos 6 ações que você deve adotar para aumentar a confiança do cliente no trabalho da empresa, fortalecendo essa conexão. Quer saber quais são elas? Veja logo a seguir!

1. Capriche na comunicação

O primeiro ponto para aumentar a confiança do cliente é, sem dúvida, a comunicação. Você provavelmente já entrou em algum site no qual as informações não eram claras ou conversou com algum atendente cujas orientações não faziam nenhum sentido prático. É preciso evitar isso a todo custo e trabalhar nesse sentido.

A questão do acesso é importante, com direcionamentos, links e páginas claras. O layout do e-commerce ajuda nesse sentido, quando bem planejado. Visuais intuitivos fazem com que as mensagens sejam passadas com mais clareza. Além disso, é importante manter uma linguagem direta e sem dificuldades para compreensão.

Use modelos diferentes e veja como é a receptividade do seu público ou faça uma boa pesquisa antes de implementar. Há muitos fatores que influenciam no recebimento de uma mensagem, então até mesmo a linguagem e o “tom de voz” da leitura fazem toda a diferença na compreensão. Aplicar testes A/B é uma boa ideia nesse sentido. Teste!

2. Esclareça o processo de compra

Dito o básico, vamos ao segundo tópico. Além de se preocupar em ser certeiro na entrega das mensagens e intenções por trás da comunicação, o processo de compra em si tem que acompanhar esse princípio de clareza. O cliente precisa saber exatamente como vai proceder em todas as etapas, quais são os processos etc.

Questões como condições de pagamentos, juros, prazos, condições e descrição do produto devem ser de conhecimento do cliente. Sentir que foi passado para trás ou ter uma surpresa negativa pode acabar com a experiência do cliente e detonar a imagem do e-commerce. Você confia em alguém que esconde as coisas? Pois é!

3. Seja totalmente transparente

Quando falamos em clareza no processo de compra, também estamos abordando a responsabilidade que a empresa tem de tornar as informações acessíveis e ser honesta em todas as horas. Mesmo que as condições não sejam favoráveis para a loja, é muito importante assumir isso e ser transparente.

Se houve algum percalço ou erro durante o processo de compra, se alguma informação faltou ou não ficou clara, enfim, você deve entender o que aconteceu, buscar a raiz e, de maneira nenhuma, omitir-se, sendo humilde e demonstrando “vulnerabilidade” em nome da empresa. Um erro pode ser perdoado, mas manter uma postura arrogante não.

Atenção a disfunções no fluxo de compra

Mantenha o cliente informado sobre alterações acerca de sua encomenda, ruptura de estoque etc. Quando algo dá errado, a falta de informação dá aquela sensação de abandono, além da insatisfação notória de não receber o que foi prometido. A empresa deve dar muita atenção a isso.

Usar e-mails automáticos para atualização das etapas é uma ação bastante produtiva. Quando as coisas não ocorrem como esperado, nada mais justo do que receber um parecer direto de um colaborador, explicando a situação, dando uma nova perspectiva sobre como tudo vai acontecer a partir dali e mostrando que há alguém cuidando disso.

4. Capacite sua equipe

Entenda que, quando falamos em “vulnerabilidade”, não estamos dizendo para que toda a equipe aja como coitadinha e vítima dos fatos. A realidade, seja ela qual for, deve ser assumida para que, a partir disso, os problemas sejam resolvidos e compensados. Para isso, o time precisa estar munido de técnicas, conhecimentos e competências.

Mesmo quando nada sai errado, ter uma mentalidade de aprimoramento constante é o que vai fazer seu negócio brilhar. Como não aumentar a confiança de um cliente quando ele consegue perceber que a empresa está constantemente pensando nas melhores soluções e em como facilitar a vida dele? Essa postura, sem dúvida, faz toda a diferença.

Sendo assim, preocupe-se em dar treinamentos, feedbacks, cursos, palestras e tudo mais que estiver ao seu alcance. Dessa forma, sua equipe conhece todos os fatores técnicos do e-commerce e dos produtos, tem domínio sobre as ferramentas de relacionamento com o cliente e, principalmente, consegue fazer atendimento humanizado, com empatia.

5. Dê atenção aos feedbacks

Como saber se o cliente confia na sua marca? Buscando esses dados direto da fonte. Além de se atentar aos comentários naturalmente realizados e a algumas métricas (como a taxa de retorno, abandono de carrinho etc.), é fundamental incentivar os feedbacks dos clientes, aplicando pesquisas de satisfação.

Além disso, deve ficar claro que a empresa está aberta para receber esses retornos dos consumidores e fazer algo sobre isso. É muito frustrante quando você faz um apontamento e vê que nada muda, concorda? Analise de verdade os feedbacks e crie planos para fazer correções e melhorias, informando os clientes de que isso está acontecendo.

6. Ofereça rapidez na assistência

Deixar o prazo de resposta claro é importante, mesmo que seja um tempo mais longo, porque assim você mantém as expectativas alinhadas. Mas pense bem: as pessoas compram pela internet para que o processo não seja tão oneroso quanto presencialmente.

Ao fazer uma pergunta sobre um produto, solicitar suporte ou atendimento, a resposta instantânea é um sonho de consumo. Sendo assim, otimize o tempo de espera. Isso dá a sensação de que a equipe está sempre pronta para atender e que o cliente tem com quem contar. Estar presente é uma boa tática para aumentar a confiança do cliente.

Mantendo a linha de frente orientada com essas ações e incorporando essa mentalidade às estratégias do e-commerce, a gestão vai manter o negócio saudável, bem-relacionado com os consumidores e próspero no mercado de atuação. Sendo assim, não deixe de se atualizar sobre as melhores práticas: assine nossa newsletter e fique por dentro!

Com a ajuda do marketing de permissão, o consultor comercial tem a oportunidade dar início a construção de um relacionamento com o cliente que começa no fluxo de nutrição e segue até o momento em que ele realizar a primeira compra. Ocasiões assim são muito importantes e todas devem ser consideradas na hora de alimentar uma planilha de vendas. Manter o controle e a organização no setor fará com que seu ambiente fique mais produtivo e sua equipe se mostre atenta as práticas necessárias que levam a empresa ao posicionamento desejado no mercado. No entanto, é necessário contar com um bom planejamento estratégico e uma colaboração diária das ferramentas que ajudam a preservar a qualidade. Nos tópicos abaixo mostraremos a importância e o porquê dessa análise periódica na sua rotina de trabalho. Também serão apresentadas outras informações interessantes que com certeza agregarão valor aos vendedores e todo o seu time. Portanto, continue aqui conosco e boa leitura! A necessidade do controle sobre as suas negociações A internet facilitou a entrada de muitas startups e pequenos empreendimentos no mundo dos negócios. Além da comunicação presencial, feita em lojas e demais pontos de venda, a interação virtual também se tornou um instrumento de estudo aos vendedores que desejam implantar táticas de vendas e conquistar novas parcelas dentro das plataformas online. O método de abordagem e a prospecção foram adaptados aos canais que permitem o diálogo com o cliente via web. As redes sociais foi e ainda é uma grande praça que possibilita essa entrega de valores e a prática do rapport. Aos poucos as grandes marcas aderiram a essas mídias, investiram no comércio online e entenderam o quanto a transformação digital é importante. Tudo isso resultou em mais prospecções e outras estratégias de atração de clientes criadas por concorrentes. Logo, fez-se necessário criar uma planilha de vendas e ter um controle sobre os sucessos que resultaram em negociações duradouras na sua corporação. O intuito é estudar o que deu ou não certo, otimizar e personalizar conforme a necessidade da lead. A importância desse controle com a planilha de vendas Muitas empresas costumam usar as mesmas estratégias que a concorrência a fim de alcançar o mesmo sucesso que elas tiveram nas campanhas. No entanto, essa atitude sempre foi vista como uma má prática, pois a eficiência das ações dependem da singularidade que uma corporação conquista com o público que ela deseja atingir. O diferencial competitivo é muito importante hoje em dia, tanto para se manter relevante em meio um cenário de muita competitividade, quanto na busca por entender as mudanças de comportamento do consumidor atual. Acontecem muitos avanços tecnológicos e eles são familiarizados pelas gerações que surgem, quem não acompanha acaba preso em processos engessados. Atualmente o indivíduo faz diversas análises e pesquisas antes de fechar uma parceria ou considerar a compra de um produto. Porém, os vendedores que entendem tais questões e agem com empatia saem na frente. Logo, aqueles que têm o controle das leads conquistadas tem uma melhor gestão de dados com a ajuda da planilha de vendas. O que considerar ao montar a planilha de vendas Até agora você percebeu que diante de um cenário de muito competitividade, a marca precisa encontrar formas se destacar, atrair novos usuários e manter a clientela já conquistada. Por meio de uma planilha de vendas ele poderá não só estudar os cases de sucesso que obteve quanto ver possibilidades de aumentar o número de compras na loja. Segue abaixo alguns subtópicos com dicas que mostram a importância desse controle na rotina de um vendedor. Identificar melhores períodos de vendas Na planilha vendas deve contar informações sobre os clientes, as leads em qualificação e os usuários que demonstram interesse pela sua marca. Além disso, ela também deve mostrar o total de vendas, ticket médio, metas conquistadas, cancelamentos e demais dados que mostrarão todo seu desempenho enquanto vendedor daquela empresa. É por meio dela que você poderá identificar quais são os meses ou as ocasiões de ano que apresentam as melhores taxas de compras. Com essa informação é possível criar estratégias nesse período que busquem apresentar novas linhas de produtos ou investir no marketing sensorial para que todos criem lembranças afetivas com sua imagem. Elaborar estratégias para períodos de menor sazonalidade Assim como foi possível identificar as ocasiões que apresentam as melhores taxas de compras, sua planilha de vendas também mostrará os números daqueles períodos de menor sazonalidade. Por meio desta informação sua equipe poderá criar campanhas de descontos, promoções e se preferir iniciar um programa de assinaturas que oferece benefícios com preços atraentes. Identificar produtos mais procurados Como foco é a organização e o controle, você não deve esquecer de checar na sua planilha de vendas quais são os produtos mais procurados e qual é o período que a procura aumenta. Isso colabora na sua progressão de compras, facilita sua análise preditiva e faz com que sua empresa não deixe esse item faltar no estoque. Afinal, um cliente que vai na sua loja ou no seu e-commerce e não encontra essa mercadoria na certa vai procurar na concorrência. Portanto, pense de maneira antecipada e faça com que sua companhia se livre de cenários assim. Entender as necessidades do cliente Com a quantidade de dados preciosos que ela apresenta é cerco dizer que a planilha de vendas é ótimo meio para identificar as necessidades do seu cliente. Com ajuda dela você adquire informações importantes que ajudarão no seu relacionamento com o consumidor. É a partir deste ponto que começa o período de personalização do seu contato. Uma vez que é do seu conhecimento as características e os principais anseios deles, fica fácil criar táticas e oferecer produtos e serviços que com certeza o auxiliarão no que eles precisam. Isso aperfeiçoará a experiência dele com a sua marca e aos poucos o aproximará do caminho da fidelização. Ao longo deste artigo você percebeu a grande importância que uma planilha de vendas tem para a sua gestão de contatos. Portanto, não deixe criar a sua e aproveitar todos os benefícios que ela trará na sua performance como consultor comercial. Gostou deste conteúdo? Então continue conosco e leia este post que fala sobre como mensurar o impacto de ações online nas vendas offline com ajuda dos indicadores de venda.

Com a ajuda do marketing de permissão, o consultor comercial tem a oportunidade dar início a construção de um relacionamento com o cliente que começa no fluxo de nutrição e segue até o momento em que ele realizar a primeira compra. Ocasiões assim são muito importantes e todas devem ser consideradas na hora de alimentar uma planilha de vendas.

Manter o controle e a organização no setor fará com que seu ambiente fique mais produtivo e sua equipe se mostre atenta as práticas necessárias que levam a empresa ao posicionamento desejado no mercado. No entanto, é necessário contar com um bom planejamento estratégico e uma colaboração diária das ferramentas que ajudam a preservar a qualidade.

Nos tópicos abaixo mostraremos a importância e o porquê dessa análise periódica na sua rotina de trabalho. Também serão apresentadas outras informações interessantes que com certeza agregarão valor aos vendedores e todo o seu time. Portanto, continue aqui conosco e boa leitura! 

A necessidade do controle sobre as suas negociações

A internet facilitou a entrada de muitas startups e pequenos empreendimentos no mundo dos negócios. Além da comunicação presencial, feita em lojas e demais pontos de venda, a interação virtual também se tornou um instrumento de estudo aos vendedores que desejam implantar táticas de vendas e conquistar novas parcelas dentro das plataformas online.

O método de abordagem e a prospecção foram adaptados aos canais que permitem o diálogo com o cliente via web. As redes sociais foi e ainda é uma grande praça que possibilita essa entrega de valores e a prática do rapport. Aos poucos as grandes marcas aderiram a essas mídias, investiram no comércio online e entenderam o quanto a transformação digital é importante.

Tudo isso resultou em mais prospecções e outras estratégias de atração de clientes criadas por concorrentes. Logo, fez-se necessário criar uma planilha de vendas e ter um controle sobre os sucessos que resultaram em negociações duradouras na sua corporação. O intuito é estudar o que deu ou não certo, otimizar e personalizar conforme a necessidade da lead.

A importância desse controle com a planilha de vendas

Muitas empresas costumam usar as mesmas estratégias que a concorrência a fim de alcançar o mesmo sucesso que elas tiveram nas campanhas. No entanto, essa atitude sempre foi vista como uma má prática, pois a eficiência das ações dependem da singularidade que uma corporação conquista com o público que ela deseja atingir.

O diferencial competitivo é muito importante hoje em dia, tanto para se manter relevante em meio um cenário de muita competitividade, quanto na busca por entender as mudanças de comportamento do consumidor atual. Acontecem muitos avanços tecnológicos e eles são familiarizados pelas gerações que surgem, quem não acompanha acaba preso em processos engessados.

Atualmente o indivíduo faz diversas análises e pesquisas antes de fechar uma parceria ou considerar a compra de um produto. Porém, os vendedores que entendem tais questões e agem com empatia saem na frente. Logo, aqueles que têm o controle das leads conquistadas tem uma melhor gestão de dados com a ajuda da planilha de vendas. 

O que considerar ao montar a planilha de vendas

Até agora você percebeu que diante de um cenário de muito competitividade, a marca precisa encontrar formas se destacar, atrair novos usuários e manter a clientela já conquistada. Por meio de uma planilha de vendas ele poderá não só estudar os cases de sucesso que obteve quanto ver possibilidades de aumentar o número de compras na loja.

Segue abaixo alguns subtópicos com dicas que mostram a importância desse controle na rotina de um vendedor.

Identificar melhores períodos de vendas

Na planilha vendas deve contar informações sobre os clientes, as leads em qualificação e os usuários que demonstram interesse pela sua marca. Além disso, ela também deve mostrar o total de vendas, ticket médio, metas conquistadas, cancelamentos e demais dados que mostrarão todo seu desempenho enquanto vendedor daquela empresa.

É por meio dela que você poderá identificar quais são os meses ou as ocasiões de ano que apresentam as melhores taxas de compras. Com essa informação é possível criar estratégias nesse período que busquem apresentar novas linhas de produtos ou investir no marketing sensorial para que todos criem lembranças afetivas com sua imagem.

Elaborar estratégias para períodos de menor sazonalidade

Assim como foi possível identificar as ocasiões que apresentam as melhores taxas de compras, sua planilha de vendas também mostrará os números daqueles períodos de menor sazonalidade. Por meio desta informação sua equipe poderá criar campanhas de descontos, promoções e se preferir iniciar um programa de assinaturas que oferece benefícios com preços atraentes.

Identificar produtos mais procurados

Como foco é a organização e o controle, você não deve esquecer de checar na sua planilha de vendas quais são os produtos mais procurados e qual é o período que a procura aumenta. Isso colabora na sua progressão de compras, facilita sua análise preditiva e faz com que sua empresa não deixe esse item faltar no estoque. 

Afinal, um cliente que vai na sua loja ou no seu e-commerce e não encontra essa mercadoria na certa vai procurar na concorrência. Portanto, pense de maneira antecipada e faça com que sua companhia se livre de cenários assim.

Entender as necessidades do cliente

Com a quantidade de dados preciosos que ela apresenta é cerco dizer que a planilha de vendas é ótimo meio para identificar as necessidades do seu cliente. Com ajuda dela você adquire informações importantes que ajudarão no seu relacionamento com o consumidor. É a partir deste ponto que começa o período de personalização do seu contato.

Uma vez que é do seu conhecimento as características e os principais anseios deles, fica fácil criar táticas e oferecer produtos e serviços que com certeza o auxiliarão no que eles precisam. Isso aperfeiçoará a experiência dele com a sua marca e aos poucos o aproximará do caminho da fidelização.

Ao longo deste artigo você percebeu a grande importância que uma planilha de vendas tem para a sua gestão de contatos. Portanto, não deixe criar a sua e aproveitar todos os benefícios que ela trará na sua performance como consultor comercial. 

Gostou deste conteúdo? Então continue conosco e leia este post que fala sobre como mensurar o impacto de ações online nas vendas offline com ajuda dos indicadores de venda.

É possível ganhar dinheiro escrevendo online? A gente explica que sim: confira nossas dicas e saiba como!

Hoje, um profissional freelancer busca por diferentes formas de conquistar mercado. Entre elas, ganhar dinheiro escrevendo online torna-se uma das mais atrativas, uma vez que as organizações dos mais variados nichos de atuação vêm buscando conquistar autoridade nos canais de busca, além de oferecerem materiais relevantes para sanar as dores de seus leitores.

Para que a sua estratégia seja efetiva nesse sentido, existe a necessidade de conhecer as principais estratégias a serem adotadas, bem como entender como é possível conquistar espaço nessa área de atuação. Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você confira algumas dicas de como ganhar dinheiro por meio da escrita. Continue a leitura e saiba mais!

Redator freelancer

Conforme abordado, tanto as organizações quanto os profissionais autônomos buscam por construir uma estratégia digital nas redes sociais e em seu blog. Por essa razão, existe a necessidade de contar com redatores capacitados que possam oferecer o seu trabalho para construir estratégias eficazes e, também, trazer materiais relevantes para os seus canais de comunicação.

Aqui se destaca aquele freelancer que vai além de apenas se capacitar na escrita. Quem tem conhecimentos técnicos nas estratégias de SEO, consequentemente, sairá à frente de seus concorrentes, uma vez que saberá otimizar os conteúdos para os canais de busca da internet. Quem ainda não domina muito bem o tema, existem cursos online que incentivam a escrita voltada para a web, ressaltando quais são as particularidades e como se destacar nessa área de atuação.

Publicação de e-books

Também faz parte das estratégias de empresas e profissionais autônomos oferecer materiais que contribuem para a conversão dos visitantes de suas páginas. Exemplo: com o amadurecimento das ações digitais, existe a necessidade de entender quem é aquela pessoa que vai até as suas páginas em busca de material relevante. No entanto, para que possa obter os dados, telefone e e-mail desse lead, é preciso oferecer algo em troca.

É nesse sentido que entra a produção de e-books. O site vai ofertar um material completo sobre determinado assunto, com conteúdo de qualidade que agregue àquele leitor, em troca de ele oferecer alguns dados importantes para o funil de vendas daquela marca.

Ou seja, quem sabe como escrever um e-book que possa sanar as dores dos clientes também toma a frente no que diz respeito à produção de conteúdo online. Quer destacar-se ainda mais? Entenda sobre os diferenciais que devem fazer parte de uma landing page, que é a página que vai converter o visitante. Sendo assim, ela precisa ser chamativa e fazer chamadas voltadas exclusivamente para despertar o interesse do lead em obter aquele material.

Produção de webinars

A produção de webinars ganhou ainda mais destaque nos últimos meses, em razão dos decretos municipais e estaduais de isolamento social devido à pandemia da COVID-19. Trata-se de um seminário online, seja gravado, seja ao vivo, que contribui para engajar clientes e potenciais clientes em relação aos temas principais de determinada empresa.

As organizações buscam por esse tipo de conteúdo visando, até mesmo, a reaproveitá-lo para a elaboração de posts e outros materiais dentro da página, o que permite oferecer para a sua audiência múltiplas alternativas para ficar por dentro do assunto tratado.

Para que ele seja gravado, é preciso contar com um roteiro feito por quem já entende do assunto. Entre as dicas para um conteúdo de qualidade, destaca-se a necessidade de contar com os objetivos bem definidos, escolher um tema que tenha relação com o atual contexto e seja de interesse do público, além de procurar referências de webinars já existentes na rede. Sendo assim, o redator desse roteiro vai identificar como será a saudação e a introdução ao assunto, como o tema será abordado pelo profissional, além de entender quais as mensagens que serão passadas, bem como os gatilhos usados.

Programa de afiliados

Um programa de afiliados trata-se de uma estratégia de divulgação de produtos de terceiros. Ou seja, você, como redator online, vai promover os itens de determinada marca e/ou organização. Entre as vantagens para as empresas de contar com esse tipo de ação, destaca-se a maior diversidade de ofertas, as maiores soluções para promover os seus materiais e uma conversão relativamente mais alta, uma vez que vai contar com diferentes parceiros nessa etapa.

Dessa forma, o redator que se preocupa em treinar a sua capacidade de engajar a persona, além de se desenvolver na divulgação de itens, seja qual for a área de atuação, poderá tornar-se um afiliado para disseminar a mensagem da empresa em questão, possibilitando uma ampliação do alcance daquela divulgação, além de trazer mais oportunidades de vendas (o que garantirá, também, lucros mais elevados).

Investimento em projetos próprios

Você já tem conhecimento sobre técnicas de SEO e também já escreve para clientes com resultados efetivos? Está na hora de investir em projetos próprios para divulgar o seu trabalho. Para isso, o primeiro passo é o entendimento de quem é o seu público. Assim, terá oportunidades mais eficazes de identificar quais são as dores daquela persona, o que ela busca na internet e como o seu trabalho contribuirá para que ela tenha resultados mais relevantes.

Além disso, vai compreender qual é o tom de voz a ser utilizado nas suas campanhas em redes sociais e, também, no blog. Não basta apenas definir temas que tenham relação com o seu público, como também conversar de um modo que haja identificação da sua audiência por aquele material.

Faça um mapeamento de conteúdo, entenda quais são os assuntos mais relevantes para aquele momento, estude a concorrência e defina um calendário editorial, como forma de tornar o seu trabalho conhecido e divulgado no mercado. Não se esqueça de definir uma identidade visual, com o objetivo de o seu nome ser reconhecido logo que o potencial lead identificar as suas postagens.

Neste conteúdo, você pôde entender como ganhar dinheiro escrevendo online por meio das principais estratégias que podem ser adotadas para que você consiga conquistar um espaço no âmbito digital. O ideal é contar com um bom planejamento, bem como analisar as oportunidades que cheguem até você. Tenha foco na definição de seus clientes, visando sempre a se aperfeiçoar em determinada área para conquistar autoridade no ramo de atuação.

Gostou das dicas apresentadas? Curta nossa página no Facebook e confira nossas dicas e nossos conteúdos!

Entenda o que é e como funciona o afiliado digital e veja as melhores dicas para garantir êxito nesse segmento!

Talvez você não saiba, mas há métodos de trabalho online em que você trabalha em casa, garantindo lucro ilimitado. Um deles é o programa de afiliados. Eles permitem que você tenha rendas complementares ou que seja seu próprio chefe, com um negócio só seu. Parece incrível, não é mesmo? Mas, afinal de contas, como se tornar um afiliado digital?

Essas possibilidades de lucro ilimitado não implicam na remuneração fácil. Pelo contrário! Empresas em geral vêm procurando, a cada dia, mais maneiras de engajamento de seu público. Para isso elas querem fornecer conteúdos e produtos consumidos de forma facilitada. Está interessado em ter um negócio a partir desses novos modelos? Confira!

O que é exatamente um afiliado digital?

Os afiliados digitais poderão ser definidos como pessoas que atuam na promoção de vendas dos produtos de outra empresa. Para que estejam aptos a esse serviço, eles devem seguir programas para afiliados. Então, toda venda que é feita por meio dessas indicações é remunerada com comissões, surgindo, assim, sua fonte de renda.

Os produtos e serviços envolvidos nessas novas propostas de mercado são os mais variados possíveis. Os produtos, de qualquer nicho imaginável, podem ir de utensílios, roupas e viagens até produtos digitais. Esses últimos podem ser e-books, cursos ou diversos outros.

Como se tornar um afiliado digital na prática?

Você percebe que o modelo de trabalho relativamente novo é bem interessante, não é? Para saber como se tornar um afiliado digital, você deve conhecer certos requisitos. Basta ter, no mínimo, dezoito anos; apresentar documento de identidade; ter e-mail; e criar uma conta, geralmente grátis, em alguma plataforma com programas para afiliados.

Você não precisa exatamente ter sites ou blogs para se tornar comissionado. Entretanto, suas performances e lucros serão bem maiores se os produtos forem divulgados ou anunciados em algum site específico. Fora que, com tráfegos visíveis no site, você verifica os cliques realizados e otimiza a exposição dos seus produtos.

O que fazer para obter êxito no segmento?

Tendo entendido o conceito e como se tornar um afiliado digital, certas etapas devem ser consideradas. Antes de iniciar sua atividade nesse segmento, veja algumas dicas para que sua empreitada seja bem-sucedida!

Escolha com atenção o nicho no qual quer atuar

A primeira escolha a ser feita, durante a adesão aos programas, é o nicho no qual você pretende atuar. Realize pesquisas! Inclusive, procure se informar sobre o assunto em contas renomadas no YouTube, sobre economia e empreendedores. A aceitação no mercado e a eficiência desses programas têm sido extremamente positivas.

Você pode optar por promover e vender infoprodutos. Eles são geralmente muito bem-sucedidos, pois não demandam estoques, podendo ainda atender ao mundo todo e sem se esgotarem. Mas como ocorre com qualquer tipo de negócio, será crucial que você identifique seus nichos no mercado. Em seguida, pergunte-se sobre que produto esse nicho pede!

Selecione a plataforma mais adequada para você

Não há como se tornar um afiliado digital, também, se você não optar por uma ótima plataforma para afiliados. É ela que te pagará as comissões e te auxiliará nos relacionamentos com o público, produtores e outros profissionais. Escolha uma plataforma bem estabelecida no mercado para garantir solidez e sucesso.

Essa escolha muitas vezes faz toda a diferença no momento em que você se torna afiliado. Analise cada possibilidade. Leia sobre as plataformas, seus valores e sua reputação no mercado.

Entenda cada aspecto do seu produto ou serviço

Outra questão inicial em seu processo é o conhecimento e compreensão total do produto ou serviço que você divulgará. Independentemente da área à qual eles pertencem. Quer promover um infoproduto? Então, conheça absolutamente tudo a respeito de produtos digitais como o e-book, EAD, vídeo-aula ou manual online, por exemplo.

Busque sempre focar, ainda, em produtos específicos para divulgar. Ainda no exemplo dos infoprodutos, qual (ou quais) você venderá? Esse conhecimento aprofundado permitirá que o público e, inclusive, os produtores confiem em seu trabalho ainda mais. Essa etapa é extremamente fundamental!

Procure definir logo seu método de trabalho

Ao aprender como se tornar um afiliado digital você também precisa definir seu método de trabalho. Por exemplo: sua ideia é a criação de blogs e sites ou divulgar o produto através de anúncios? Você pretende ter um site específico para produtos bem definidos ou para que o cliente compare diferentes serviços?

Conforme for o método escolhido, seu caminho pode ser completamente diverso. Em todos os casos, precisa haver a preocupação com a construção de uma marca, que pertence a você.

Sua marca deve ter força, fácil identificação por parte dos clientes e consistência. Assim, você tem mais chances de consolidá-la, ao contrário de portais que visam somente a geração do clique. Agregue valor ao seu público, para que as vendas ocorram com mais frequência.

Defina as métricas e reveja suas ações de vendas

Analise toda informação que chega a você e realize testes a todo momento. Dessa forma, você terá mais possibilidades de sucesso como afiliado. O produto com maior retorno não precisa ser o que vende mais. As plataformas mais comentadas não são, obrigatoriamente, as melhores. Esse modelo de trabalho é vasto, hoje. Então, teste o máximo que puder.

Sem a devida mensuração de métricas e revisão de ações de venda, não adianta adotar excelentes estratégias. Avalie suas métricas, a fim de compreender como se comporta o público-alvo em resposta a determinadas ações de vendas. Observando de perto cada uma delas, você saberá como aperfeiçoar sua estratégia.

Agora que você entendeu como se tornar um afiliado digital, ficam claros os benefícios desse modelo de trabalho. Escolha um ótimo programa de afiliados como o E-goi para sair na frente. Trata-se da melhor alternativa do mercado para que você comece quanto antes sua trajetória. Nosso reconhecimento e solidez garantirão em grande parte o seu sucesso!

E aí, gostou de conhecer mais sobre os programas de afiliados digitais? Convidamos você a entrar em contato conosco para conhecer as vantagens e o nosso perfil de negócios. Teremos imenso prazer em esclarecer suas dúvidas e em receber você em nossa grande rede de afiliados!